6 de Janeiro de 2014 / às 20:06 / 4 anos atrás

Dólar sobe 0,12% ante o real, ainda de olho em Fed e fiscal

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 6 Jan (Reuters) - O dólar fechou com leve alta ante o real nesta segunda-feira, ainda em meio ao cenário de preocupações diante da incerteza sobre a situação fiscal brasileira e o processo de retirada do estímulo monetário dos Estados Unidos.

A moeda norte-americana avançou 0,12 por cento, para 2,3767 reais na venda. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1 bilhão de dólares.

“Há um clima de ansiedade. Dentro do pacote do real, a gente tem, entre outros fatores, a expectativa de rebaixamento do rating brasileiro e a redução dos estímulos dos Estados Unidos”, afirmou o especialista em câmbio da corretora Icap, Italo dos Santos.

Na semana passada, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que o governo central cumpriu a meta fiscal de 2013, mas deixou para fevereiro a definição do objetivo ajustado para este ano. A informação fez pouco para atenuar a ansiedade do mercado, que interpretou que o resultado depende excessivamente de receitas extraordinárias.

Investidores temem que as contas públicas domésticas continuem a se deteriorar, possivelmente motivando o rebaixamento da classificação de risco brasileiro e afugentando capitais atualmente aplicados no país.

“Não fizemos o ajuste fiscal. O governo terá que ficar de olho em juros, inflação e câmbio. Tudo isso gera incertezas num momento em que está todo mundo discutindo a possibilidade de rebaixamento”, afirmou o superintendente de câmbio da corretora Advanced, Reginaldo Siaca.

A agência de classificação de crédito Moody’s informou nesta segunda-feira que o rating atual do Brasil já prevê crescimento mais fraco da economia e que vai avaliar o desempenho do primeiro semestre deste ano para decidir sobre a possibilidade de mudanças.

Nesta sessão, o fortalecimento da divisa norte-americana chegou a ser um pouco mais forte no intradia, tocando 2,3862 reais na máxima. Contudo, dados mistos sobre a economia norte-americana seguraram o avanço.

Duas leituras do setor de serviços dos EUA mostraram desaceleração na atividade em dezembro, mas o número de encomendas a indústria cresceu em novembro. Os dados deram fôlego à incerteza sobre a redução do estímulo monetário norte-americano atualmente em vigor, que diminui a oferta de liquidez global.

Em dezembro, o Federal Reserve, banco central dos EUA, anunciou corte de 10 bilhões de dólares nas compras mensais de títulos, para 75 bilhões de dólares.

A alta do dólar ocorreu a despeito da constante intervenção do Banco Central brasileiro. Nesta manhã, a autoridade monetária vendeu a oferta total de 4 mil contratos de swap cambial tradicional --equivalente a venda futura de dólares. A operação teve volume equivalente a 199,1 milhões de dólares. Para terça-feira, anunciou oferta igual também com vencimento em 2 de maio.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below