21 de Janeiro de 2014 / às 17:31 / 4 anos atrás

Rússia deverá manter produção de petróleo estável em 2014

Por Katya Golubkova e Olesya Astakhova

MOSCOU, 21 Jan (Reuters) - A Rússia deverá pelo menos manter sua produção de petróleo em níveis recordes neste ano, devido ao forte desempenho de novos campos, mas com poucas chances de aumentos significativos da produção, disseram analistas e autoridades.

A Rússia, maior produtor mundial de petróleo, depende das receitas com exportações para abastecer os cofres públicos e manter a economia crescendo.

A produção subiu 1,4 por cento no ano passado, para um recorde da era pós-soviética de 10,51 milhões de barris por dia (bpd), graças a novos campos abertos há alguns anos.

Por outro lado, os campos que estão elevando a produção agora, como o depósito de Vankor, da Rosneft, na Sibéria Oriental, foram descobertos por geólogos soviéticos. Novas descobertas estão ainda há anos de entrarem em produção, o que irá restringir o potencial de crescimento no curto prazo.

O Ministério de Energia prevê que a produção doméstica de petróleo vai ficar pelo menos inalterada neste ano, nos chamados “antigos novos campos”, como a Vankor e Talakan --da Surgutneftegas, que irão ajudar a equilibrar a queda de produção em campos mais antigos.

A Rússia tem três vezes mais reservas de petróleo que os Estados Unidos, mas deverá perder o posto de maior produtor global já em 2016, devido à revolução energética norte-americana do óleo de xisto, segundo projeção da Agência Internacional de Energia.

Refletindo a falta de dinamismo, a estatal Rosneft disse que seu índice de reposição de reservas foi de 180 por cento no ano passado. Ainda assim, a maior petroleira da Rússia planeja um crescimento de apenas 1 por cento no bombeamento nos próximos anos.

O analista Alexander Kornilov, do Alfa Bank, espera que a produção russa suba cerca de 1 por cento em 2014, devido ao crescimento nos campos Vankor, Uvat, Talakan e Korchagin.

Três grandes depósitos que começaram a ser explorados no ano passado --Trebs e Titov, na Sibéria Ocidental; Srednebotuobinskoe, na Sibéria Oriental; e Prirazlomnoye, no Ártico-- deverão acrescentar cerca de 300 mil bpd para a produção do país até o final da década.

“A Rosneft planeja elevar sua produção em cerca de 1 por cento. Dado que é a maior petroleira do país, a Rússia também verá um crescimento moderado”, disse o analista Andrey Polischuk do Raiffeisenbank.

A Surgutneftegas planeja manter sua produção estável em torno de 1,2 milhão de bpd neste ano, disse a empresa à Reuters.

A Lukoil e Gazprom Neft não quiseram comentar.

Reportagem adicional de Olesya Astakhova e Vladimir Soldatkin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below