10 de Fevereiro de 2014 / às 14:48 / em 4 anos

Petrobras aumenta produção em 2014 com nove sistemas novos e em ramp-up

Por Sabrina Lorenzi

Operário checa amostra de petróleo na plataforma Cidade Angra dos Reis, no campo de Lula, a cerca de 300 km da costa do Rio de Janeiro. A Petrobras vai aumentar a produção neste ano com a operação de projetos atrasados e a entrada de plataformas previstas no cronograma de 2014, com pelo menos nove sistemas novos de produção ou em fase de crescimento (ramp-up), afirmaram duas fontes ligadas à estatal. 16/02/2011. REUTERS/Sergio Moraes

RIO DE JANEIRO, 10 Fev (Reuters) - A Petrobras vai aumentar a produção neste ano com a operação de projetos atrasados e a entrada de plataformas previstas no cronograma de 2014, com pelo menos nove sistemas novos de produção ou em fase de crescimento (ramp-up), afirmaram duas fontes ligadas à estatal.

Apesar do adiamento de várias unidades que estavam previstas no ano passado para este ano, a estatal manterá paralelamente o plano de 2014, incluindo Sapinhoá Norte e Iracema Sul, ambos no pré-sal da Bacia de Santos, disseram as fontes, sob condição de anonimato.

O plano original de 2014 gera dúvidas no mercado, com analistas desconfiados da capacidade da estatal de colocar em operação tantos sistemas num mesmo ano. Mas informações da petroleira sobre o andamento das novas unidades têm levado analistas a considerar todos os novos projetos.

As plataformas Cidade de Ilhabela, para o campo de Sapinhoá Norte, e a plataforma de Cidade de Mangaratiba, no campo de Iracema Sul, deverão ser entregues no prazo, com cinco novos poços interligados a estas unidades ainda em 2014, segundo o planejado pela Petrobras.

A estatal ainda não informou estimativas de produção para 2014. Para 2016, a empresa informou no último plano estratégico que produzirá 2,5 milhões de barris de petróleo, alcançando 2,75 milhões em 2017 e 4,2 milhões de barris em 2020, após a consolidação de vários sistemas que resultaram das gigantescas reservas do pré-sal.

A estatal amargou queda de 2,5 por cento na extração de petróleo no ano passado, sem alcançar a meta de produção. A empresa produziu 1,93 milhão de barris de petróleo por dia (bpd), registrando a sua segunda queda anual consecutiva e retroagindo a patamares de cinco anos atrás.

STATUS DO PRÉ-SAL

A estatal está preparando a conexão de vários poços no pré-sal de Santos, nos campos de Lula Nordeste e Sapinhoá, que entraram em operação no ano passado. O ramp-up desses campos atrasou porque fornecedores demoraram a entregar à Petrobras equipamentos essenciais para a conexão dos poços no prazo previsto.

Os chamados boiões --que chegaram com atraso-- já estão sendo instalados, e a previsão é começar a conexão de novos poços nestas áreas até o final de março, segundo uma das fontes.

O plano é conectar um total de nove poços (entre produtores e injetores) em Sapinhoá e 11 em Lula Nordeste, de modo que cada um deles atinja capacidade prevista de 120 mil barris diários em seu pleno funcionamento, o que não deverá ocorrer ainda neste ano.

Também mais poços serão conectados às plataformas P-63 e P-55, nos campos de Papa-Terra e Roncador, respectivamente. A capacidade máxima da primeira é de 140 mil barris diários de produção, enquanto a unidade instalada em Roncador tem capacidade para 180 mil barris.

Previstos para 2013, ficaram para 2014 a P-58, no Parque das Baleias, e a P-61, para o campo de Papa-Terra.

A P-62, também para o campo de Roncador, está prevista para entrar em operação em 2014, ainda no primeiro semestre.

Edição de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below