29 de Abril de 2014 / às 10:59 / 3 anos atrás

Santander Brasil tem lucro dentro do esperado; matriz fará OPA

SÃO PAULO, 29 Abr (Reuters) - O Santander Brasil teve queda no lucro recorrente do primeiro trimestre, mas o resultado veio dentro do esperado pelo mercado. A divulgação ocorreu no mesmo dia em que a matriz do maior banco espanhol anunciou oferta voluntária por participação de 25 por cento que ainda não possui da unidade brasileira.

O Santander Brasil teve lucro líquido recorrente de 1,427 bilhão de reais de janeiro a março, ante previsão de cinco analistas consultados pela Reuters de lucro de 1,4 bilhão de reais.

O resultado representa uma queda de 6 por cento sobre o lucro recorrente informado no mesmo período do ano passado.

Considerando eventos extraordinários, o lucro líquido do Santander Brasil no trimestre somou 518,4 milhões de reais, queda de 14,9 por cento ante igual etapa do ano passado.

A matriz do banco na Espanha informou mais cedo que lançou oferta para comprar 25 por cento das units do Santander Brasil que ainda não detém, oferecendo um prêmio de 20 por cento sobre o preço de fechamento dos papéis na véspera. A unit do Santander Brasil encerrou na segunda-feira cotada a 12,74 reais.

O banco também informou que não planeja deslistar os papéis do Santander Brasil das bolsas de São Paulo e Nova York.

"Esta oferta demonstra a confiança do Santander no Brasil e em sua subsidiária neste mercado, bem como seu potencial de crescimento no longo prazo", afirmou o banco espanhol em comunicado.

CARTEIRA NO BRASIL

O Santander Brasil teve alta de 5,8 por cento na carteira de crédito no primeiro trimestre ante mesmo período do ano passado, mas na comparação com os três últimos meses de 2013 houve recuo 1,5 por cento. No conceito ampliado, houve avanço de 7,2 por cento em um ano e queda de 1,6 por cento sobre dezembro.

Na pessoa física, o banco reduziu os financiamentos com desconto em folha de pagamento em 14,8 por cento no ano a ano, enquanto o crédito pessoal recuou 1,5 por cento. A carteira de veículos subiu 13,1 por cento e o crédito imobiliário avançou 33,6 por cento. No total, o financiamento ao consumo cresceu 5,9 por cento no primeiro trimestre sobre um ano antes.

Na jurídica, o Santander Brasil registrou avanço de 6,6 por cento na carteira, com recuo de 10,4 por cento em veículos e crescimento de 25,9 por cento no crédito imobiliário.

O rival Itaú Unibanco, maior banco privado da América Latina, divulgou mais cedo avanço 11,4 por cento na carteira de crédito ampliada.

O Santander Brasil encerrou o primeiro trimestre com índice de inadimplência de financiamentos vencidos há mais de 90 dias de 3,8 por cento, recuando sobre os 5,8 por cento do início de 2013, mas avanço sobre os 3,7 por cento do final do ano passado.

As provisões para perdas com inadimplência, livres da receita com recuperação de créditos baixados como prejuízo, somaram 2,346 bilhões de reais no trimestre, queda de 30,4 por cento na comparação anual e de 4,2 por cento na sequencial.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio, excluindo ágio, foi de 11,2 por cento de janeiro a março, queda de 0,8 ponto no ano a ano e alta de 0,6 ponto sobre o quarto trimestre de 2013.

Por Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below