1 de Junho de 2008 / às 14:50 / 9 anos atrás

Número de soldados dos EUA mortos no Iraque é o menor desde 2003

BAGDÁ (Reuters) - Dezenove soldados norte-americanos foram mortos no Iraque em maio, afirmou o Exército dos Estados Unidos no domingo, a menor taxa de mortalidade mensal desde que suas forças armadas invadiram o país para derrubar Saddam Hussein, em 2003.

O número de civis iraquianos mortos no mesmo mês caiu para 505, após o registro mais alto em sete meses de 968 em abril, segundo dados obtidos pela Reuters dos ministérios da Defesa, do Interior e da Saúde iraquianos.

O Exército dos EUA afirma que a violência no Iraque está nos níveis mais baixos em quatro anos, após ofensivas de norte-americanos e iraquianos contra milícias xiitas no sul do país, em Basra e Bagdá, e contra a Al Qaeda no norte, na cidade de Mosul, seu último grande reduto urbano.

Mas um ataque suicida a bomba na cidade de Hit, na província ocidental de Anbar, no sábado, que matou o chefe da polícia local, assinalou a fragilidade da segurança no Iraque.

A polícia afirmou que um militante suicida explodiu a bomba em um posto de controle policial matando o chefe de polícia tenente-coronel Khalil Ibrahim al-Jazzaa, outros nove policiais e três civis.

O website icasualties.org, que faz contagem de norte-americanos mortos no Iraque, afirmou que 19 soldados dos Estados Unidos morreram em maio.

O porta-voz do Exército dos Estados Unidos confirmou o número divulgado, que ainda pode aumentar, já que o Departamento de Defesa leva alguns dias para confirmar mortes relatadas. Segundo o website, a maior taxa de mortos em sete meses foi em abril, quando 52 foram mortos.

O menor número de mortos registrado antes foi em fevereiro de 2004, quando 21 soldados morreram.

Os números de maio indicam que a situação da segurança melhorou nos últimos 12 meses. Em maio de 2007, 126 soldados norte-americanos foram mortos em explosões de violência sectária.

A guerra de cinco anos é um grande tema da campanha da eleição à Presidência dos Estados Unidos em novembro. O candidato republicano John McCain prometeu manter as tropas no Iraque até ganhar a guerra, enquanto Barack Obama, que lidera disputa para nomeação democrata, diz que vai retirar as tropas em 16 meses após tomar posse.

Quinhentos combatentes de tropas australianas, aliadas dos Estados Unidos, começaram a ser retirados da província de Dhi Qar, no sul do país, cumprindo a promessa do primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, de retirar todas tropas até o final do ano.

A retirada dos australianos deixa os Estados Unidos com apenas dois de seus maiores parceiros na coalizão, aGrã-Bretanha, que tem cerca de 4.000 soldados britânicos em Basra, e a Georgia, que tem cerca de 2.000 combatentes em outras províncias.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below