27 de Agosto de 2008 / às 17:38 / em 9 anos

Sudaneses que sequestraram avião se entregam na Líbia

Por Salah Sarrar

TRÍPOLI (Reuters) - Os sequestradores de um avião sudanês entregaram-se a autoridades líbias na quarta-feira, depois de terem libertado todos os ocupantes da aeronave, afirmou o órgão da Líbia responsável pelo setor aéreo do país.

O avião, com 95 pessoas a bordo, foi dominado na terça-feira depois de ter saído da região de Darfur, uma região sudanesa afetada por conflitos armados, rumo a Cartum.

Os sequestradores obrigaram o aparelho a pousar em um remoto oásis do Saara chamado Kufrah, no sudeste da Líbia.

Ainda não se conhecem a identidade dos dois sequestradores e nem seus motivos para assumir o comando do Boeing 737/200.

Os agressores primeiro libertaram os passageiros e dois tripulantes, mas mantiveram sob seu poder seis outros tripulantes enquanto negociavam.

“Os dois sequestradores foram transportados para uma das salas do aeroporto de Kufrah depois de terem se entregado”, afirmou o chefe da agência de aviação da Líbia, Mohamed Shlibek, segundo a agência de notícias Jana.

A Autoridade de Aviação Civil do Sudão disse que as autoridades líbias tinham prendido os dois homens, de nacionalidade sudanesa, mas que não sabiam porque eles haviam sequestrado o avião

“Isso está sendo investigado. Tudo o que disseram é que queriam ser recebidos como refugiados em Paris”, disse Abdel Hafiz Abdel Rahim.

O piloto tinha afirmado a autoridades líbias pouco antes que os dois pertenciam a um braço do Movimento da Libertação Sudanesa (SLM), um grupo rebelde de Darfur.

Segundo o piloto, os homens desejavam que o avião fosse reabastecido a fim de poderem voar para encontrar seu líder, Abdel Wahed Mohammed al-Nur, na capital francesa, disse a Jana.

REBELDES NEGAM CONHECER SEQUESTRADORES

Mas a facção de Nur negou enfaticamente que os sequestradores fossem membros de seus quadros.

Uma outra facção do SLM que assinou um acordo com o governo sudanês em 2006, acordo esse rejeitado por Nur, disse que entre os passageiros do vôo encontravam-se sete de suas autoridades, três das quais membros de um governo de transição de Darfur.

“Na noite passada, nós nos sentimos aterrorizados”, disse ao canal estatal de TV da Líbia Mohamed al-Tijani Tayeb, um dos integrantes do governo de transição.

“Agradecemos às autoridades líbias por isso, pelo resultado de seu diálogo pacífico.”

A região de Darfur encontra-se mergulhada em um conflito armado desde que uma rebelião contra o governo sudanês iniciou-se mais de cinco anos atrás. Especialistas afirmam que mais de 2,5 milhões de moradores da região perderam suas casas e que 200 mil foram mortos. O Sudão diz que o número de mortos é de cerca de 10 mil.

Os insurgentes dividem-se em várias facções.

O avião sequestrado havia saído da capital de Darfur do Sul, Nyala, com destino a Cartum. A Líbia concedeu permissão para o pouso do avião depois de o piloto ter dito que a aeronave estava ficando sem combustível, disse a agência de notícias oficial do governo libanês.

Com a exceção de dois policiais egípcios, dois etíopes e um ugandense, os passageiros eram todos sudaneses.

A TV líbia disse que alguns dos passageiros desmaiaram dentro do avião depois de o sistema de ar condicionado dele haver quebrado. Mais tarde, essas pessoas receberam tratamento médico.

Uma outra aeronave os levaria para o Sudão ainda na quarta-feira, disse Shlibek.

Reportagem adicional de Jonathan Wright, Andrew Heavens e Khaled Abdelaziz

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below