for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Medvedev quer acordo "sério" com União Européia

MOSCOU (Reuters) - A Rússia busca um pacto “sério” com a União Européia que reafirme o país como parte da Europa, disse à Reuters o presidente russo, Dmitry Medvedev, antes do início da cúpula UE-Rússia na Sibéria.

Medvedev quer acordo 'sério' com União Européia. A Rússia busca um pacto 'sério' com a União Européia que reafirme o país como parte da Europa, disse à Reuters o presidente russo, Dmitry Medvedev, antes do início da cúpula UE-Rússia na Sibéria. 23 de junho. Photo by Grigory Dukor

No encontro, que começa na quinta-feira na cidade de Khanty-Mansiysk, está previsto o lançamento das conversações adiadas há tempos sobre um acordo de cooperação nas relações entre a Rússia e o bloco europeu.

“Tem de ser um documento sério, mas ao mesmo tempo não sobrecarregado com coisas muito concretas”, disse Medvedev à Reuters, em sua primeira entrevista a um órgão de imprensa ocidental desde que assumiu o poder, em maio.

A Rússia quer um pacto conciso, formal seguido por uma sucessão de acordos mais detalhados para que se evite que questões de comércio e negócios sejam afetadas por disputas políticas, disse o conselheiro de política externa de Medvedev, Sergei Prikhodko.

Medvedev vai reunir-se com as autoridades da UE apenas sete semanas depois de receber o poder de seu antecessor e aliado, Vladimir Putin, que presidiu a Rússia por oito anos, durante o maior boom econômico do país em uma geração.

A maneira agressiva de Putin de reafirmar a posição econômica e política da Rússia na Europa e em outras partes do mundo, e de limitar a influência ocidental no país, prejudicou as relações com muitos membros da UE, entre os quais ex-aliados soviéticos.

Medvedev, que se comprometeu a dar continuidade à política de Putin, mostrou uma posição de menos confronto com a Europa.

“Em termos de prioridades para o relacionamento entre a Rússia e a União Européia --este é um relacionamento entre a Federação Russa, um grande Estado europeu que se define e se conduz como parte da Europa, e a União Européia”, disse ele à Reuters.

Autoridades da UE disseram gostar do tom mais suave do novo homem no Kremlin, mas querem ver se isso se traduz em genuína mudança.

“Vemos sinais encorajadores, mas obviamente é um novo presidente em uma nova posição, com suas ambições, e nós temos de descobrir como ele pretende pôr em prática esses objetivos”, disse um funcionário de alto escalão da UE, falando sob condição de manter o anonimato.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up