25 de Outubro de 2008 / às 11:37 / 9 anos atrás

Gabeira e Paes rivalizam sobre apoios políticos e prostitutas

RIO DE JANEIRO, 25 de outubro (Reuters) - No último debate da corrida pela prefeitura do Rio, realizado na sexta-feira pela TV Globo, os candidatos Fernando Gabeira (PV) e Eduardo Paes (PMDB) usaram como artilharia mais pesada acusações sobre os apoios políticos do adversário. Em outro momento aquecido do encontro, Gabeira e Paes se dividiram sobre o tema da prostituição.

Paes recorreu várias vezes ao nome do prefeito Cesar Maia para atacar Gabeira, que passou a relacionar o rival ao deputado estadual Jorge Babu (PT), denunciado neste ano pelo Ministério Público (MP) como chefe de milícia na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O MP chegou a pedir a prisão de Babu, que, como parlamentar, só pode ser detido em caso de flagrante.

Em coletiva após o debate, o peemedebista afirmou não se sentir incomodado com a menção a Babu, justificando que o apoio é “irrelevante” perto da participação de Cesar Maia na campanha de Gabeira. Paes disse ainda que “nada restou comprovado” contra o deputado estadual.

“Eu fico muito mais confortável com o apoio do deputado Babu do que do prefeito Cesar Maia”, garantiu Paes. “O apoio do prefeito Cesar Maia marca a candidatura do deputado Fernando Gabeira e a população está percebendo isso. Ele representa a continuidade.”

Empenhado em afastar as acusações sobre uma gestão de continuidade, Gabeira afirmou que prefere o apoio do atual prefeito ao de Babu, “com a ressalva de que ele (Cesar Maia) não vai participar do governo”.

Após o debate, Gabeira contou ter sido perseguido, de forma agressiva, pelo grupo de Babu, na última semana, na Zona Oeste: “O Babu apareceu na minha vida nesta semana, perseguindo meu carro. Então, me dei conta de que a barra estava pesada.”

Herança rejeitada pelos sucessores, Cesar Maia acabou sendo usado também como munição por Gabeira para devolver as críticas feitas por Paes:

“O Eduardo se formou com Cesar Maia, fez 80% de suas obras com Cesar Maia, aprendeu política com Cesar Maia, fala às vezes um pouco como Cesar Maia. Às vezes, se veste como Cesar Maia. Tem a paixão pelos números como Cesar Maia tem. Ele é fixado em Cesar Maia. Vai ver o Cesar Maia em todo lugar.”

SERVIÇOS SEXUAIS

Paes recriminou o fato de Gabeira, como deputado federal, ter criado projeto de lei para regulamentar a prestação de serviços de natureza sexual. O verde respondeu ser contra a perseguição de prostitutas e acusou Paes de preconceito contra a categoria. Após o debate, o peemedebista relacionou a prostituição com a desordem urbana na orla carioca:

“Não tenho nenhuma visão preconceituosa. Eu sou contra projeto que regulamenta a prestação de serviços de natureza sexual. O histórico do candidato Gabeira é um histórico de defender aquele tipo de ambiente na Praia de Copacabana. Eu sou contra. Eu acho que a Praia de Copacabana e a Praia da Barra da Tijuca não devem ser pontos formalizados de prostituição, como, há não muito pouco tempo atrás, ele defendeu.”

Questionado se chegava ao fim da eleição como um político mais à esquerda -- já que tem apoio de sindicalistas, partidos de esquerda e movimentos sociais --, Paes respondeu apenas se sentir orgulhoso da aliança com “forças progressistas.”

O peemedebista voltou a afirmar que Gabeira desconhece a geografia da cidade e que não tem propostas objetivas. “Tem muita divagação, muito delírio sobre as coisas da cidade. Essa é a grande diferença entre as duas candidaturas.”

Gabeira evitou avaliar como havia sido o último embate antes das urnas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below