28 de Março de 2008 / às 10:28 / em 10 anos

Alckmistas e kassabistas mantêm disputa por candidatura em SP

Por Carmen Munari

SÃO PAULO (Reuters) - Mesmo após a declaração do presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, de que a aliança com o DEM será desfeita na capital paulista e que cada partido terá candidato próprio nas eleições de outubro, tucanos e Democratas ainda não estão pacificados.

A ala favorável a que tucanos apóiem o ex-governador Geraldo Alckmin, sinônimo de candidatura própria, se diz tranquila depois da posição de Guerra e realizou na quinta-feira à noite uma festa-comício em um salão da capital.

O nome de Alckmin esteve em todos os discursos de palanque e não faltaram agressões verbais, como um militante que tratou o DEM por “demo”. O evento, que não contou com a presença de Alckmin que dava palestra em Ribeirão Preto, reuniu cerca de 800 pessoas e representantes de 46 dos 52 diretórios do PSDB na cidade, segundo os organizadores.

Em outro endereço da capital, partidários do PSDB e do DEM pela recondução de Gilberto Kassab (DEM) à prefeitura se reuniram em torno de uma palestra do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, agendada pelo diretório estadual da legenda ao custo de 2 mil reais por pessoa.

“São definitivas as declarações do Sérgio Guerra. A partir de agora é outra tarefa, nós já estamos em campanha, não vamos mais perder tempo”, disse o deputado Silvio Torres (PSDB-SP), articulador da candidatura Alckmin.

Torres, que compareceu primeiro à palestra de FHC, admitiu, no entanto, que “opiniões contrárias podem permanecer durante toda a campanha eleitoral”.

Edson Aparecido, outro deputado federal da ala pró-Alckmin, afirmou que as articulações em torno da candidatura do ex-governador de São Paulo já foram iniciadas depois da declaração do presidente do partido, que na terça-feira levou a decisão da candidatura própria à Executiva tucana.

“A situação está mais tranquila agora”, disse Aparecido, que também compareceu aos dois eventos. Ele argumenta que desde 1988, ano da fundação do PSDB, o partido concorre à eleição na capital.

Espécie de porta-voz da ala de tucanos que apregoa o apoio a Kassab, Walter Feldman, secretário de Esportes do município, saiu mais uma vez em defesa da aliança com o DEM.

“Nossa opinião é que essa aliança ainda tem muita chance de ser mantida, então eu discordo do presidente Sérgio Guerra. Ele está deixando para São Paulo decidir”, afirmou o secretário, que é remanescente da gestão José Serra na cidade.

Ele admite que, “quanto mais confusão no nosso meio”, melhor para a provável candidatura de Marta Suplicy (PT).

Vereadores do DEM divulgaram, durante a palestra do ex-presidente, uma carta em que apelam a que FHC e Serra utilizem sua influência para manter a coligação e ter um candidato único das duas legendas.

“Não estamos dizendo que seja o Kassab, poderá ser o Kassab”, afirmou o vereador do DEM, Carlos Apolinário, líder da bancada, e signatário da carta. Segundo ele, a declaração de Guerra é apenas opinião pessoal, não do PSDB.

Cerca de 80 por cento da máquina da prefeitura é composta por tucanos, disse o vereador.

Colaborou Fernanda Ezabella

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below