22 de Fevereiro de 2008 / às 00:05 / em 10 anos

Hillary ataca Obama em dia de debate nos EUA

Por Steve Holland

LAREDO, Estados Unidos (Reuters) - A pré-candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton questionou na quinta-feira a capacidade de seu rival Barack Obama para ocupar o cargo de comandante-chefe das Forças Armadas e vencer a disputa pela Casa Branca.

Hillary e Obama se enfrentam na quinta-feira em um debate em Austin, Texas. A senadora espera interromper a onda favorável a seu adversário, que acumula dez vitórias consecutivas nas prévias estaduais.

“Quero que vocês pensem em quem vocês querem ter na Casa Branca atendendo ao telefone às 3h da manhã quando alguma crise estourar no mundo”, disse Hillary para uma platéia de forte presença latina no centro de Laredo, no Texas.

“Quem é o mais bem preparado para ser o comandante-chefe a partir do primeiro dia?”, acrescentou, repetindo um de seus bordões na campanha contra Obama pela indicação democrata à Presidência.

Obama chega ao debate à frente de Hillary em número de delegados para a convenção nacional de agosto --1.168 a 1.018, segundo a contagem da MSNBC.

A campanha de Hillary espera vencer as disputas do Texas e Ohio, no dia 4, para que ela possa manter suas aspirações.

MCCAIN NEGA ROMANCE

Entre os republicanos, o favorito John McCain rejeitou o teor de uma reportagem do jornal The New York Times sugerindo que há nove anos ele teve uma ligação estreita --possivelmente um namoro-- com uma lobista que representa empresas com interesses numa comissão do Senado que McCain presidia.

O jornal disse que, na frustrada pré-candidatura de McCain à Presidência em 2000, os assessores do senador estavam preocupados com as consequências políticas do possível conflito de interesses.

Em Toledo, Ohio, onde está em campanha, McCain, que é casado, disse a jornalistas que a reportagem “não é verdadeira”.

“Em momento algum eu fiz qualquer coisa que traísse a confiança pública ou tomei uma decisão de que alguma forma não fosse do interesse público e favorecesse qualquer organização”, declarou.

Assessores e seguidores de McCain lançaram uma contra-ofensiva. Rick Davis, gerente da campanha do republicano, disse que a reportagem é parte de “uma campanha difamatória apócrifa (que consiste em) atirar e fugir”.

McCain tem uma vantagem praticamente insuperável em número de delegados em relação ao ex-governador de Arkansas Mike Huckabee, que se recusa a deixar a corrida até que McCain obtenha matematicamente a maioria.

Reportagem adicional de Jeff Mason e Jason Szep

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below