12 de Outubro de 2008 / às 14:07 / 9 anos atrás

China promete crescimento estável diante de crise global

PEQUIM, 12 de outubro (Reuters) - A China irá manter suas políticas de macroeconomia flexíveis e prudentes e procurará expandir a demanda doméstica em virtude do complicado cenário econômico mundial, afirmou o Partido Comunista, que governa o país, neste domingo.

Uma reunião do Comitê Central do Partido alertou que a economia global está desacelerando, ameaçando o crescimento chinês, e que o país iria focar no mercado interno para amortecer possíveis danos.

“Há também algumas contradições consideráveis e problemas na economia doméstica. Precisamos aumentar nosso senso de risco e ativamente responder ao desafio”, dizia um comunicado da agência oficial de notícias Xinhua após a reunião de dirigentes.

Ao mesmo tempo, ela dizia que os principais líderes do partido destacaram que a condição geral da economia chinesa era boa. O crescimento continua rápido e o setor financeiro estava operando de maneira estável e saudável.

“As condições fundamentais de crescimento da economia de nosso país não mudaram”, afirmou o comunicado.

Graças a controles de capital e a um sistema bancário subdesenvolvido, a China tem sido bastante protegida da crise de crédito mundial.

Mas economistas e políticos já aguardam uma segunda fase de efeitos negativos que podem diminuir a exportação e afetar as fábricas, deixando os empréstimos junto aos bancos nacionais em uma situação amarga.

“A coisa mais importante é lidar bem com as questões de nosso país”, declarava o comunicado.

Foi dito que o governo “manteria a estabilidade econômica, financeira e dos mercados de capital continuando a encorajar o crescimento econômico e social,setores que continuam saudáveis e acelerados”.

O Banco Central já diminuiu os juros duas vezes para apoiar o crescimento, e economistas esperam por mais facilidades financeiras e o relaxamento de políticas fiscais para incrementar a demanda doméstica.

A reunião aprovou uma série de medidas, incluindo reforma agrária, com a intenção de ampliar seus resultados, já que a China possui uma população de 750 milhões de pessoas que trabalham com a terra, mas o coumicado não deu mais detalhes a respeito.

Reportagem de Chris Buckley

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below