23 de Outubro de 2007 / às 03:48 / em 10 anos

Sem responsabilidade, Massa promete ser agressivo para vencer

Por Camila Moreira

<p>Piloto brasileiro da Ferrari Felipe Massa chega ao boxe da equipe no aut&oacute;dromo de Interlagos, em S&atilde;o Paulo, nesta quinta-feira. Photo by Paulo Whitaker</p>

SÃO PAULO (Reuters) - Felipe Massa está com os ombros leves. De contrato renovado e sem chances de conquistar o título da Fórmula 1, o piloto da Ferrari disputará o Grande Prêmio do Brasil no domingo em busca da vitória, mas sem responsabilidades.

Depois de quebrar no ano passado um jejum de vitórias brasileiras em Interlagos que vinha desde 1993, nem isso lhe pesa desta vez.

“Não tenho uma responsabilidade tão grande nesta corrida, meu campeonato já está definido. O que mais quero é entrar para a vitória, e não teria problema em arriscar mais, em ser mais agressivo”, afirmou Massa em entrevista à imprensa na quinta-feira.

O brasileiro está em quarto lugar no campeonato, e assistirá de onde estiver na pista a uma briga pelo título da F1 entre três pilotos na última corrida do ano -- algo que não acontece desde 1986. Lewis Hamilton, da McLaren, está quatro pontos à frente de seu colega de equipe, Fernando Alonso, e sete à frente de Kimi Raikkonen, da Ferrari.

A única decepção foram os problemas enfrentados durante a temporada, tanto de confiabilidade quanto de erros, que o impediram de chegar à última corrida na briga pelo troféu de campeão mundial.

“A temporada foi boa, o carro foi competitivo, larguei na frente várias vezes e estava disputando vitórias. Mas os problemas e as corridas em que não marquei pontos fizeram com que eu chegasse aqui sem chance de vencer o campeonato”, avaliou.

Entretanto, ele não descarta ajudar seu companheiro a conquistar o título, mas as chances do finlandês são tão pequenas que nem mesmo essa responsabilidade ele considera. Entretanto, admite que a situação de pensar em vitória e ao mesmo tempo colaborar com um resultado para Kimi é algo difícil.

“Essa situação é complicada porque sete pontos é bastante em uma corrida. Depende não só de mim e do Kimi, mas também dos dois carros da McLaren. Ficarei feliz de ver a minha equipe vencer o campeonato, mas não é uma corrida muito fácil”, afirmou Massa, descartando qualquer mudança de comportamento dele ou da equipe caso o finlandês seja campeão.

“Sem dúvida o relacionamento será o mesmo no ano que vem. Se ele ganhar o campeonato, não mudará nada e será um ano parecido em 2008, com tratamento igual da equipe. Não tenho menos confiança na equipe, sempre foi 100 por cento.”

Pelo menos em relação a comprometimento com a Ferrari Massa saiu na frente. Ele renovou seu contrato por mais dois anos, até 2010, enquanto o de Raikkonen expira em 2009.

O finlandês evitou comentar a situação, afirmando que “não tem nada a ver comigo” e que decidirá o que fazer quando seu contrato acabar. E saiu pela tangente quando questionado se acredita que Massa poderia lhe ajudar.

“Temos um relacionamento justo e limpo, sempre pressionando um ao outro. Mas não sei o que vai acontecer na corrida. Se ele vai ajudar ou não depende de muita coisa”, afirmou Raikkonen.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below