25 de Fevereiro de 2008 / às 21:10 / em 10 anos

Rússia e Sérvia rejeitam domínio albanês sobre Kosovo

Por Douglas Hamilton

BELGRADO (Reuters) - A Sérvia pretende dominar as partes de Kosovo onde “cidadãos leais” ainda querem o governo de Belgrado, disse o primeiro-ministro Vojislav Kostunica na segunda-feira.

A declaração representa um desafio ao Ocidente, que apóia a independência kosovar, e especialmente à União Européia, que deve substituir a ONU como potência administradora da antiga província sérvia.

“A Sérvia fará de tudo para implementar sua jurisdição e as prerrogativas do Estado para todos os cidadãos leais em Kosovo --sérvios e não-albaneses”, disse Kostunica.

“Não pode haver normalização das relações com Estados que reconheceram a independência de Kosovo até que eles anulem sua decisão. As manifestações não vão parar enquanto a independência ilegal não for anulada.”

Kostunica também recebeu nova manifestação de apoio da Rússia, numa visita do provável futuro presidente do país, Dmitry Medvedev, a Belgrado.

“Pressupomos que a Sérvia é um único Estado, cuja jurisdição abrange todo o seu território. Mantemos essa posição”, disse Medvedev.

A Sérvia considera Kosovo como o berço da nação, apesar de atualmente a população ser majoritariamente da etnia albanesa.

Belgrado e Moscou consideram que a resolução 1.224 da ONU, de 1999, ainda é o único marco jurídico internacional em vigor em Kosovo. A resolução transformara a província em protetorado da ONU sob presença militar da Otan, mas legalmente sob soberania sérvia.

Os EUA disseram na segunda-feira que vão manter o reconhecimento da independência. “Vamos continuar trabalhando com russos e sérvios, mas acho que a esta altura deveria estar claro para todos que Kosovo não voltará a ser parte da Sérvia”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Tom Casey.

Há tensão em Kosovo diante da resistência da minoria sérvia à independência, especialmente em Mitrovica, reduto eslavo no norte de Kosovo, onde mais de mil pessoas protestaram pelo sétimo dia consecutivo, queimando não só uma bandeira da UE como uma foto do presidente sérvio, o pró-europeu Boris Tadic.

Dezenas de veteranos de guerra sérvios atiraram pedras e garrafas contra policiais kosovares, ferindo 18 deles, durante uma manifestação num posto fronteiriço do nordeste de Kosovo. A polícia usou gás lacrimogêneo para dispersá-los.

Reportagem de Oleg Shchedrov, Shaban Buza, Fatos Bytyci, Matt Robinson, Branislav Krstic, Ivana Sekularac e Susan Cornwell

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below