1 de Julho de 2008 / às 14:34 / em 9 anos

Empregados da PETROBRAS fazem greve de 24h sem parar produção

RIO DE JANEIRO, 1o de julho (Reuters) - Os trabalhadores da Petrobras (PETR4.SA) iniciaram à zero hora desta terça-feira greve de alerta pela segurança no trabalho e por uma melhor distribuição de lucros da companhia, e prometem uma greve de cinco dias se as negociações não avançarem.

De acordo com o diretor da Federação Única dos Petroleiros (Fup), José Genivaldo Silva, a expectativa é de que ainda esta semana aconteça uma reuinião com a estatal.

“Dependendo da proposta da empresa, podemos chamar nos próximos dias uma greve de cinco dias com produção controlada, o que significa que em algumas plataformas a saída (de combustível) poderia ser diminuída, e talvez mais tarde uma greve indefinida com parada”, disse Silva.

Na greve de 24h a produção não é interrompida, o que só ocorre após cinco dias sem operação.

A Petrobras considerou “precipitada” a greve dos petroleiros e afirmou em nota que a participação nos lucros em 2007 foi de 844 milhões de reais, “compatível com o lucro da companhia em 2007 e com os dividendos distribuídos aos acionistas”. A empresa lucrou 21,5 bilhões de reais no ano passado, abaixo do recorde de 25,9 bilhões de reais de 2006.

Em 2001, os empregados da estatal convocaram greve de cinco dias, e depois por tempo indeterminado por falta de negociações, obrigando o país a aumentar a importação de petróleo, o que seria um grande impacto com o preço atual da commodity. Desde essa época, no entanto, a empresa e os empregados têm conseguido resolver dissídios e reivindicações da categoria sem parada de produção.

Há um ano, a Fup chegou a ameaçar parar a produção, mas uma proposta da companhia sobre promoções interrompeu o movimento.

A Petrobras produz cerca de 1,8 milhão de barris diários de petróleo no Brasil e é responsável pela maior parte da produção e do refino na América Latina.

Os lucros da companhia e seu valor de mercado têm crescido nos últimos anos e as perspectivas são mais otimistas daqui para frente, depois de a Petrobras ter descoberto, junto com parcerias, um reservatório gigante de óleo após uma grossa camada de sal em águas ultraprofundas da costa brasileira.

Os petroleiros alegam que apesar do crescimento da companhia, a participação nos lucros têm sido menor, o que é rebatido pela Petrobras, alegando que o lucro em 2007 também foi menor, já que os custos para produção e refino estão elevados.

“Nossa participação nos lucros da empresa vai contra a tendência do aumento dos ganhos e das ações”, disse Silva.

A Petrobras disse em nota que está aberta para negociações, mas não estipulou data.

Reportagem de Andrei Khalip e Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below