3 de Outubro de 2008 / às 15:05 / em 9 anos

ATUALIZA-ARACRUZ despenca após dado de exposição com derivativos

(Texto atualizado com comentários de analistas)

SÃO PAULO, 3 de outubro (Reuters) - As ações da Aracruz ARCZ6.SA despencavam para o menor nível do ano na Bolsa de Valores de São Paulo nesta sexta-feira, depois que a maior produtora de celulose de eucalipto do mundo informou sua posição no mercado de derivativos, que pode gerar uma perda bilionária.

Às 11h57, a ação preferencial da companhia ARCZ6.SA exibia desvalorização de 18,6 por cento, ampliando o tombo de 13,1 por cento registrado logo na abertura dos negócios. Enquanto isso, o Ibovespa .BVSP, principal índice da bolsa paulista, subia 3,7 por cento.

A companhia informou na quinta-feira à noite que a consultoria contratada para analisar suas operações com derivativos apurou um valor justo negativo para a exposição da empresa em cerca de 1,95 bilhão de reais, caso houvesse liquidação efetiva dos contratos em 30 de setembro.

Mas como os contratos têm prazo médio de 12 meses, a empresa encerrou o trimestre passado com um saldo positivo de 25 milhões de reais, de acordo com comunicado divulgado no final da noite de quinta-feira.

Analistas afirmaram que ainda não está claro qual realmente será o impacto para a companhia decorrente da exposição a derivativos, anunciada pela primeira vez na semana passada junto com o pedido de licença do diretor financeiro, Isac Zagury.

O analista Marco Saravalle, da corretora Coinvalores, afirmou que vai preferir esperar a divulgação do balanço trimestral consolidado da Aracruz, dia 17, para confirmar o tamanho da perda no terceiro trimestre.

“Acho que ainda há muita incerteza e o mercado vai ficar muito de olho no curto prazo, nesse resultado financeiro. Ainda não ficou claro se o 1,95 (bilhão de reais) será diluído ao longo do tempo ou mesmo se será o caso de a perda poder ser menor que isso”, disse o analista.

Para ele, a ação da empresa despenca influenciada pela divulgação do valor justo, mas também afetada pelo ambiente de incerteza dos mercados diante do futuro da economia. “Estamos em um cenário de aumento da aversão ao risco e com isso os investidores tendem a reduzir suas exposições em uma empresa que está se alavancando.”

A analista Juliana Chu, da corretora BES, afirmou que “o valor absoluto (da exposição) é significativo em relação à empresa sim, mas parte pode ser recuperada. Não quer dizer que a empresa vai perder tudo isso”, disse ela.

O anúncio da Aracruz surge em um momento em que a empresa está envolvida em um processo de fusão com a Votorantim Celulose e Papel VCPA4.SA, cujas ações recuavam 3 por cento na manhã desta sexta-feira.

Por Alberto Alerigi Jr.; Edição de Vanessa Stelzer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below