4 de Abril de 2008 / às 10:53 / 10 anos atrás

ATUALIZA-SUMMIT-ENERGIAS DO BRASIL será sócia da EDP-Renováveis

(Texto atualizado com mais informações)

Por Denise Luna

LISBOA/RIO DE JANEIRO, 4 de abril (Reuters) - A Energias do Brasil será sócia da EDP-Renováveis, quarta maior geradora eólica do mundo, nos projetos da empresa na América do Sul, informou o diretor financeiro da EDP (EDP.LS), que controla as empresas, Nuno Alves.

Em entrevista durante o Reuters Latin America Investment Summit, Alves afirmou que a Energias do Brasil terá 45 por cento dos projetos da EDP-Renováveis na América do Sul, e que o objetivo são parques eólicos principalmente no Brasil.

A idéia é investir para ter 500 megawatts de energia eólica em cinco anos.

“Já temos estudos em alguns parques eólicos e queremos participar ativamente da geração eólica no país”, afirmou Alves.

“Estamos concorrendo para alguns parques, por isso não podemos dizer onde nos instalaremos”, complementou, descartando a compra de parques eólicos já existentes no Brasil ou em outros países da região.

Ele lembrou que, além da energia produzida por vento, a empresa tem vários projetos em andamento, como a térmica a carvão que fará “meio a meio” com a MPX, empresa de energia do empresário Eike Batista, com capacidade para 360 megawatts, com planos de aumentar a capacidade em mais 360 megawatts no futuro.

“Temos vários programas sendo estudados, um é o aumento da capacidade dessa central a carvão em Pernambuco com a MPX, para mais 180 MW para nós e mais 180 MW para a MPX”, informou.

Outros projetos de energia hídrica também estão sendo avaliados, como 24 pequenas hidrelétricas totalizando 500 megawatts e mais 1.400 megawatts em centrais um pouco maiores.

Sobre a participação nos leilões de energia para grandes projetos do Brasil, como o do rio Madeira, e a frustrada tentativa de privatização da Companhia Energética de São Paulo CESP3.SA, para o qual se pré-qualificou, Alves é menos otimista.

“Não iremos sozinhos na Cesp, é demasiado grande. Poderíamos equacionar se algum player grande, conjuntamente conosco, quisesse estudar o assunto”, afirmou Alves.

Também descartou a participação no leilão da hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira, de mais de 3 mil megawatts, previsto para maio, alegando também ser o porte do projeto muito grande para a companhia.

Mas os planos da EDP são de aumentar a presença na geração do Brasil para atingir 4 mil megawatts nos próximos anos.

“Hoje em dia temos pouco mais de 1.000 megawatts, temos 360 megawatts já decididos (usina com MPX) para avançarmos, e temos projetos de 4 mil megawatts a serem estudados. Isso demonstra a intenção da Energias do Brasil investir no Brasil, havendo condições”, declarou.

Reportagem de Denise Luna e Sergio Gonçalves; Edição de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below