8 de Agosto de 2008 / às 11:28 / em 9 anos

Combates violentos seguem em capital separatista da Geórgia

<p>Confrontos com rebeldes da Ge&oacute;rgia recome&ccedil;am ap&oacute;s cessar-fogo. O governo da Ge&oacute;rgia e os separatistas da Oss&eacute;tia do Sul quebraram um acordo de cessar-fogo poucas horas depois de os dois lados concordarem em negociar na sexta-feira. 5 de agosto. Photo by Reuters</p>

Por Margarita Antidze

MEGVREKISI, Geórgia (Reuters) - Os combates ficaram ainda mais violentos nos arredores e dentro da capital da Ossétia do Sul, região separatista da Geórgia. Tropas do país atacaram as forças separatistas na sexta-feira com a ajuda de tanques e aviões de guerra, numa tentativa de retomar o território.

Um correspondente da Reuters disse que o barulho dos aviões e das explosões era ensurdecedor a mais de três quilômetros de distância da cidade. Muitas casas estavam em chamas.

O presidente pró-Ocidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, disse que suas forças “libertaram” a maior parte do território da capital, Tskhinvali, e ordenou uma mobilização em escala total dos reservistas.

A Rússia confirmou a existência de combates no centro da cidade.

A Geórgia disse que jatos russos entraram em seu espaço aéreo e atiraram bombas sobre dois lugares ao sul do território, uma parte fora do controle do governo central desde 1990.

Moscou não comentou imediatamente o assunto.

A crise, a primeira que o novo presidente russo Dmitry Medvedev enfrenta desde que assumiu o cargo, em maio, desperta temores de uma guerra na região, que está se tornando uma importante rota para o trânsito de energia. Tanto a Rússia quanto o Ocidente tentam influenciar a área.

A Otan, a União Européia e os Estados Unidos, forte aliado da Geórgia, fizeram um apelo pelo fim do derramamento de sangue, enquanto Moscou prometeu responder depois de receber a informacção de que agentes de paz russos foram mortos pela artilharia da Geórgia.

“Algumas bombas atingiram diretamente o quartel em que estavam em Tskhinvali”, disse um porta-voz dos agentes de paz, segundo a agência de notícias Interfax.

Andrei Chistyakov, correspondente da emissora de TV russa Vesti-24, disse que pelo menos 15 civis foram mortos em Tskhinvali, onde milhares de pessoas se refugiaram em porões

“Estas são as pessoas cujos corpos foram vistos nas ruas e em seus quintais”, disse por telefone.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below