July 8, 2008 / 1:04 PM / 10 years ago

Daniel Dantas, Pitta e Naji Nahas são presos pela PF

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - Figura polêmica do processo de privatização das empresas de telefonia no país, o banqueiro Daniel Dantas, do Banco Opportunity, foi preso pela Polícia Federal nesta terça-feira, acusado de comandar uma quadrilha que usava empresas de fachada para desviar verbas públicas.

Daniel Dantas, Pitta e Naji Nahas são presos pela PF. O banqueiro Daniel Dantas, do Banco Opportunity, foi preso pela Polícia Federal nesta terça-feira, acusado de comandar uma quadrilha que usava empresas de fachada para desviar verbas públicas. Foto do Arquivo. Photo by Jamil Bittar

Na mesma operação, batizada de Satiagraha, também foram detidas outras duas figuras controversas: o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o investidor Naji Nahas.

O grupo de Dantas, segundo o Ministério Público Federal (MPF), cometeu o crime de evasão de divisas por meio do Opportunity Fund, “offshore” no paraíso fiscal das Ilhas Caimã, no Caribe. Segundo laudos, tal fundo movimentou entre 1992 e 2004 quase 2 bilhões de dólares.

“Mas essa operação é tão complexa que nem o próprio cabeça da organização criminosa (Dantas) sabia quantos clientes e quantos recursos havia nesse fundo”, afirmou a jornalistas o delegado e coordenador da operação, Protógenes Queiroz.

O volume movimentado pode superar os 2 bilhões de dólares, segundo o delegado, e o dinheiro seria lavado por Dantas também por meio da compra de gado.

O delegado afirmou que Dantas e Nahas mantiveram contatos telefônicos na condição de “cabeças de duas organizações criminosas que eram independentes, mas tinham negócios pontuais”.

A operação da PF contou com a participação de 300 agentes, que cumprem 24 mandados de prisão e 56 de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador.

Entre os suspeitos que tiveram a prisão decretada estão operadores do mercado financeiro e Verônica Dantas, irmã do banqueiro.

O MPF acusou Dantas, em nota divulgada em seu site, de usar dois intermediários para tentar subornar um delegado da PF com o objetivo de ter seu nome retirado das investigações.

Segundo o MPF, além de Dantas e de Verônica, outras nove pessoas ligadas ao banqueiro tiveram prisão decretada, entre elas Carlos Rodemburg, sócio e vice-presidente do Opportunity.

O advogado que representa Dantas afirmou, em entrevista coletiva, que a prisão de seu cliente foi “ilegal, arbitrária e desnecessária” e que o banqueiro tem sido perseguido pela PF e pelo Ministério Público, que poderiam “estar atendendo a interesses de alguns segmentos do governo”.

O advogado Nelio Machado também atribuiu a prisão de Dantas às disputas societárias em que o banqueiro está envolvido.

“Isto tudo é decorrência daquilo que os jornais chamam da maior disputa societária dos últimos tempos. Existem interesses diversificados”, afirmou o advogado, em referência à disputa entre a Telecom Italia e o Opportunity sobre o controle da Brasil Telecom, que está em processo de fusão com a Oi .

Ex-herdeiro político do deputado Paulo Maluf (PP-SP), Pitta é acusado de ter uma conta no exterior e movimentar quase semanalmente vultosos recursos por meio de operações financeiras ilegais, contratadas junto a Nahas. Pitta, que teve os direitos políticos suspensos em 2005, foi prefeito entre 1997 e 2000 e teve uma gestão marcada por acusações de corrupção.

MENSALÃO

A operação da PF é resultado de investigações iniciadas há quatro anos, um desdobramento do escândalo do mensalão. “Na apuração foram identificadas pessoas e empresas beneficiadas no esquema montado pelo empresário Marcos Valério para intermediar e desviar recursos públicos”, disse a PF em nota.

O chamado esquema do mensalão envolvia o suposto pagamento de dinheiro a deputados da base aliada do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em troca de apoio no Congresso. As denúncias sobre o esquema derrubaram figuras importantes do governo petista, como o então ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu.

Em 2006, Dantas disse em depoimento no Senado que foi procurado pelo ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, que teria lhe pedido 50 milhões de dólares para o partido.

Segundo o MPF, a Telemig e a Amazônia Celular, empresas nas quais Dantas detinha participação, fizeram depósitos nas contas do empresário Marcos Valério.

Com o andamento das investigações, ainda de acordo com a Polícia Federal, foi descoberta uma outra quadrilha, comandada por Nahas e que seria responsável por “lavar” o dinheiro obtido ilegalmente.

“Além de fraudes no mercado de capitais, baseadas principalmente no recebimento de informações privilegiadas, a organização atuava no mercado paralelo de moedas estrangeiras”, afirmou a PF na nota.

O investidor libanês Naji Nahas provocou um terremoto no mercado de capitais do Brasil em 1989. Ele foi acusado de realizar operações ilegais que quebraram várias corretoras e esvaziaram a Bolsa do Rio, principal mercado de ações do país na época.

Após anos de batalha judicial, em que chegou a ser condenado a 24 anos e oito meses de prisão, ele foi inocentado na Justiça e briga contra a BM&FBovespa, herdeira do mercado de ações, por uma indenização bilionária.

Todos os detidos na operação deverão ser indiciados pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, evasão de divisas e sonegação fiscal.

Com reportagem adicional de Rodrigo Viga Gaier no Rio de Janeiro e Sílvio Cascione em São Paulo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below