9 de Junho de 2008 / às 20:46 / em 9 anos

CONSOLIDA-Lehman levanta US$6 bi em dia tenso com bancos

Por Steve Slater

LONDRES, 9 de junho (Reuters) - O banco de investimentos Lehman Brothers LEH.N levantou 6 bilhões de dólares de capital e alertou para um prejuízo trimestral acima do esperado, abalando investidores, justamente quando um rival brtânico completava um levantamento recorde de recursos.

O Lehman afirmou que espera perdas de 2,8 bilhões de dólares no segundo semestre após perdas com hedge e operações. O banco planeja reestabelecer seu capital oferecendo ações papéis convertíveis em ofertas públicas, diluindo a participação dos atuais acionistas.

As ações do banco chegaram a cair 13 por cento.

“Eles levataram bilhões de dólares que eles disseram não precisar para repor perdas que eles disseram que não tinham”, disse David Einhorn, do hedge fund Greenlight Capital, que está vendendos ações da Lehman, apostando que essas cairão ainda mais.

Especulações sobre a saúde do Lehman surgiram desde o colapso de seu rival menor Bear Stearns, mas este não está sozinho enfretando a intensa pressão de capital da crise do mercado.

“A crisde de crédito ainda está com a gente e reverberante”, disse Chris Iggo, um estrategista da AXA Investimento Managers. “O fato deles estarem fazendo isto e eles ainda terem problemas em seus balanços não é grande surpresa, mas significa que o cenário ainda é desfavorável”.

Também nesta segunda-feira, a Fitch Ratings cortou a avaliação do crédito do Lehman Brothers, e a Moody’s Investors Service mudou a perspectiva do banco para negativo.

Já o Royal Bank of Scotland (RBS.L) divulgou mais notícias positivas nesta segunda-feira, afirmando que 95 por cento de seus acionistas apoiaram uma emissão equivalente a 23,5 bilhões de dólares.

A operação do banco escocês foi maior do que imaginado previamente e deu algum alívio que investidores atenderão os apelos de fundos apesar dos problemas enfrentados no setor.

Mas as ações do UBS UBSN.VX caíram mais de 9 por cento em certo momento e fecharam com baixa de 3,3 por cento.

A forte queda ocorreu com os investidores considerando ser difícil manter o entusiasmo pelos papéis de um banco que registrou 37 bilhões de dólares em baixas contábeis durante a crise de crédito.

“Os investidores tradicionais do UBS são os fundos investindo em bancos privados mas na categoria de baixo risco. Os novos investidores são fundos de recuperação. E os fundos de recuperação estão levando grandes barganhas”, disse Peter Thorne analista da Helvea.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below