September 10, 2008 / 2:53 PM / 10 years ago

Aviões da FAB enviarão 28 toneladas de alimentos a Cuba Haiti

Pinar del Rio após a passagem do furacão Ike em Cuba. O Brasil enviará aviões da FAB com 28 toneladas de alimentos para Cuba e o Haiti, países recentemente atingidos por furacões que causaram a destruição de prédios e a morte de centenas de pessoas. Photo by Enrique De La Osa

Por Natuza Nery

BRASÍLIA (Reuters) - Decolarão da Base Aérea do Galeão no Rio de Janeiro dois C-130 Hércules, aviões de transporte pesado da Força Aérea Brasileira, levando 28 toneladas de alimentos para Cuba e Haiti. Países recentemente atingidos por furacões responsáveis pela destruição de prédios e pela morte de centenas de pessoas.

Segundo uma fonte do governo, as aeronaves partirão do Brasil nas próximas horas desta quarta-feira, cada uma com 14 toneladas de cestas básicas.

Na terça-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou comovido com os relatos feitos pelo presidente cubano, Raúl Castro, sobre a devastação deixada pelo furacão Ike na ilha, e determinou o envio de ajuda humanitária tanto ao país comunista quando ao Haiti.

Ainda segundo a fonte, o grupo de trabalho brasileiro criado para analisar a logística do auxílio está trabalhando para enviar helicópteros brasileiros para ajudar no resgate das vítimas.

O grupo, composto por membros de diversos ministérios, também prepara o envio de um barco da Marinha carregado com 100 toneladas de arroz para ser dividido entre os dois países.

O governo ainda analisa a possibilidade de ajuda financeira, mas o envio dos recursos ainda não foi decidido.

Em Cuba, o furacão Ike provocou a destruição de prédios na capital Havana. Ainda não havia dados precisos sobre as vítimas do Ike em Cuba, mas a mídia estatal mostrou um panorama da destruição ao longo da ilha, que também sofreu com a passagem de outro furacão, o Gustav, há 10 dias.

No Haiti, as enchentes provocadas pelas chuvas torrenciais do Ike mataram ao menos 71 pessoas. Na semana passada, a tempestade tropical Hana deixou 500 morts no país mais pobre das Américas.

Edição de Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below