12 de Fevereiro de 2008 / às 16:08 / 10 anos atrás

Com prejuízo, GM antecipa aposentadorias e ações sobem

Por Kevin Krolicki e David Bailey

<p>Imagem de arquivo mostra bandeiras norte-americanas em frente &agrave; sede da GM nos Estados Unidos. A General Motors divulgou nesta ter&ccedil;a-feira preju&iacute;zo forte no quarto trimestre e no ano, refletindo a queda no mercado norte-americano e perdas da ex-subsidi&aacute;ria financeira GMAC. Photo by Rebecca Cook</p>

DETROIT (Reuters) - A General Motors divulgou nesta terça-feira prejuízo forte no quarto trimestre e no ano, refletindo a queda no mercado norte-americano e perdas da ex-subsidiária financeira GMAC. A maior montadora dos Estados Unidos anunciou um programa de demissão voluntária e aposentadoria antecipada que animou investidores. Com isso, as ações subiam mais de 1 por cento.

O acordo com o sindicato United Auto Workers, incluindo 74 mil empregados, abrirá caminho para que a montadora contrate substitutos com salários inferiores. Esses desligamentos devem gerar economias a partir do segundo semestre de 2008.

Na avaliação da empresa, a primeira metade do ano será um período de vendas provavelmente difícil, mas deve haver uma retomada no segundo semestre.

A expectativa é que os resultados melhorem este ano, impulsionados pelos mercados emergentes. A GM recusou-se, no entanto, a prognosticar o desempenho no maior mercado da montadora por receita, o norte-americano, que passa por desaquecimento.

“Estou me referindo às operações automotivas globais, lá é que veremos alguma melhora”, afirmou o vice-presidente financeiro, Fritz Henderson.

CASA BRANCA REAGE

Em 2007, o prejuízo da GM foi de 38,7 bilhões de dólares. A Casa Branca comentou que o resultado negativo da montadora mostra o momento delicado do setor. A porta-voz Dana Perino disse que a GM está tentando se reestruturar de tal forma que se mantenha competitiva. “E acreditamos que conseguirão fazer isso”, afirmou.

No quarto trimestre, o prejuízo líquido da montadora foi de 722 milhões de dólares, ou 1,28 dólar por ação, contra lucro líquido de 950 milhões de dólares, ou 1,68 dólar por ação, no mesmo período do ano anterior.

A empresa teve perdas nos EUA e na Europa de 1,7 bilhão de dólares que anularam os ganhos de 437 milhões de dólares em mercados emergentes na América Latina e Ásia.

Excluindo-se itens extraordinários, a GM teve lucro de 0,08 dólar por ação no quarto trimestre, com o benefício de um ajuste contábil de 1,6 bilhão de dólares que melhorou o resultado das operações correntes.

A receita caiu para 47,09 bilhões de dólares, frente a 50,8 bilhões de dólares no mesmo período do ano anterior, queda atribuída à cisão da GMAC.

O antigo braço financeiro da GM reportou um prejuízo líquido de 724 milhões de dólares há uma semana. A GM vendeu a GMAC para um grupo encabeçado pela Cerberus Capital Management, mas detém 49 por cento de participação que ainda se reflete no balanço consolidado da montadora.

A unidade Residential Capital, da GMAC, é a segunda maior financiadora imobiliária independente dos Estados Unidos.

Para o analista Himanshu Patel, do JP Morgan, a expectativa de resultados melhores em 2008 “é estimulante mas pode ser um pouco otimista demais”, embora o acordo com os operários possa gerar economias acima do esperado. As ações subiam 1,7 por cento por volta das 14h (horário de Brasília), para 27,59 dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below