May 14, 2008 / 12:52 PM / 10 years ago

JURO-Sem meta maior de superávit, projeções de juro avançam

SÃO PAULO, 14 de maio (Reuters) - A ausência de uma meta clara para a economia extra que o governo fará ao financiar o fundo soberano pressionava as projeções de juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) nesta quarta-feira.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2010, que tinha o maior giro, subia de 14,20 por cento para 14,32 por cento às 9h49. O DI janeiro de 2009 avançava de 13,02 por cento para 13,08 por cento.

Na terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o superávit primário que exceder a atual meta de 3,8 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) será encaminhado para a formação do fundo soberano do governo.

Ao contrário da expectativa do mercado, porém, ele não quis definir uma porcentagem para essa economia extra. Com uma meta maior de superávit primário, a política monetária poderia ser menos agressiva, avaliavam os agentes.

Segundo Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora, as posições compradas em taxas —que apostam em uma elevação maior da Selic— cresciam “diante da constatação de que a política monetária não terá colaboração extra do lado fiscal para combater as pressões inflacionárias”.

No mercado aberto, o Banco Central já tomou 16,891 bilhões de reais dos bancos, por 1 dia, a 11,65 por cento ao ano.

Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Vanessa Stelzer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below