14 de Dezembro de 2007 / às 19:05 / em 10 anos

Embraer cumpre meta do ano e vê receita maior em 2008

Por Cesar Bianconi

SÃO PAULO (Reuters) - A Embraer atingirá as metas de entregas de aeronaves em 2007, ano em que terá receita ao redor de 5 bilhões de dólares, antecipou nesta sexta-feira o presidente-executivo da fabricante de aviões, Frederico Fleury Curado.

Para 2008, o executivo espera crescimento de 25 por cento no faturamento da companhia, quando estima entregas de mais de 200 aviões a clientes.

A empresa entregou 108 jatos de janeiro a setembro nos segmentos de aviação comercial, executiva e defesa. Assim, precisa entregar no mínimo 57 aviões no trimestre que termina em dezembro para atingir seu objetivo para este ano --de 165 a 170 aeronaves.

“Efetivamente estamos atingindo as metas previstas”, afirmou Curado durante encontro de fim de ano com a imprensa.

A Embraer enfrentou alguns problemas na cadeia de produção, o que levantou dúvidas entre analistas sobre a capacidade da fabricante de alcançar o número de entregas prometido. Em 2006, as entregas totalizaram 130 aviões.

Às 17h, as ações da empresa negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo avançavam 3,11 por cento, para 21,25 reais. O índice Bovespa operava perto do zero a zero.

INVESTIMENTOS E EUA

A Embraer fará investimentos de 1 bilhão de dólares nos próximos dois anos, com volume repartido em 2008 e 2009, disse Curado. Cerca de metade do dinheiro irá para o desenvolvimento de produtos como os jatos executivos de pequeno porte Phenom 100 e Phenom 300. As entregas do primeiro modelo começam no ano que vem.

A Embraer encerrou o terceiro trimestre com carteira de pedidos firmes em 17,2 bilhões de dólares. De 50 a 60 por cento disso refere-se a encomendas de clientes nos Estados Unidos.

Questionado sobre a saúde da economia norte-americana, diante da crise no setor imobiliário por lá, o presidente da Embraer disse apostar em um pouso suave, e não em recessão, sem impacto significativo nos negócios da fabricante.

Além disso, ele lembrou que outros mercados estão crescendo e ganhando importância para a empresa, caso da China, que já responde por 15 por cento dos pedidos firmes da Embraer.

“O crescimento (da demanda por aviões) em outras regiões do mundo mais do que compensa uma eventual queda nos EUA.”

A Embraer fechou 7 bilhões de dólares em vendas de aviões em 2007, parte importante com empresas aéreas fora do mercado norte-americano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below