15 de Maio de 2008 / às 16:53 / em 10 anos

JBS tem perdas com câmbio e Argentina, onde produção pode parar

Por Roberto Samora

SÃO PAULO, 15 de maio (Reuters) - O JBS (JBSS3.SA), maior produtor e exportador de carne bovina do mundo, teve prejuízo de 6,6 milhões de reais no primeiro trimestre de 2008, afetado principalmente pela variação cambial sobre investimentos em moeda estrangeira e também devido às perdas decorrentes da proibição das exportações de carnes na Argentina.

Além de Brasil e Argentina, o grupo brasileiro tem unidades nos Estados Unidos, Austrália e na Itália.

“Hoje, temos 1,5 bilhão de dólares investidos no exterior. A cada 10 centavos que o dólar se movimenta contra o real, isso representa 150 milhões de reais”, exemplificou a jornalistas o presidente do JBS, Joesley Mendonça Batista.

“Se o dólar andar 10 centavos negativos, seguramente no próximo trimestre registraremos mais um prejuízo de 150. E o oposto é verdadeiro, se o dólar andar 10 centavos para cima, fechar a 1,80 (real), vamos registrar 150 de lucro”, acrescentou.

Ele lembrou também que, quando as outras aquisições do JBS nos EUA forem concluídas (National Beef e Smithfield), o investimento externo saltará para 3 bilhões de dólares e o impacto cambial pode dobrar para mais ou menos.

Diante disso, ele declarou ter afirmado em reunião com uma alta autoridade do governo brasileiro que o país não está preparado para ser sede de multinacionais. “Toda legislação é estruturada para um país que está sendo comprado.”

No primeiro trimestre do ano passado, quando ainda não havia operações nem nos EUA nem na Itália (Inalca), o JBS teve lucro de 10,6 milhões de reais, contra prejuízo de 136,1 milhões de reais no quatro trimestre de 2007.

Mas, segundo ele, o problema do veto às exportações da Argentina, onde a empresa tem cinco unidades de produção, também teve impacto direto nos resultados.

A receita líquida na Argentina caiu 37 milhões de reais, em relação ao período anterior, contra um salto da receita de todo o grupo nos primeiros três meses de 1,27 bilhão para 5,85 bilhões de reais, ante o primeiro trimestre de 2007, graças a incorporação das unidades nos Estados Unidos (receita de 4,28 bilhões de reais) e na Itália (304 milhões).

O resultado, no entanto, caiu ante os 6,65 bilhões de reais do quarto trimestre de 2007, também pela variação cambial. O trimestre com uma semana a menos também reduziu o faturamento.

UNIDADES PODEM PARAR NA ARGENTINA

“Tivemos pontualmente um forte impacto negativo em função das restrições às vendas do governo argentino”, disse ele.

O presidente do JBS afirmou ainda que a empresa está transferindo boa parte do produto que seria vendido no exterior para o aquecido mercado local argentino, mas salientou que se as restrições aos produtos industrializados (carnes cozidas e enlatadas) prosseguirem, a empresa poderá suspender essa produção, que não encontra demanda internamente.

“Vamos parar as nossas atividades, porque não temos o que fazer com esses produtos (processados), estamos fazendo algo que não tem cliente”, disse ele, lembrando que se o governo argentino não permitir exportações nos próximos dias a linha de carnes cozidas e enlatadas será paralisada na segunda-feira.

Se isso ocorrer, haverá uma redução nas vendas do JBS na Argentina de 30 por cento, disse o presidente, lembrando que a empresa terminou o trimestre com 25 milhões de dólares de produtos processados em estoque e com 15 milhões de dólares de carne in natura estocada.

“Temos dificuldade de prever o que vai acontecer na Argentina”, disse ele, referindo-se ao país que retém as exportações de carne bovina, um produto básico da população, para tentar controlar a inflação. Essa política está entre os motivos da retomada dos protestos de produtores locais.

Com as proibições nas exportações argentinas, no mesmo momento em que a Europa restringe fortemente as vendas do Brasil, o JBS tem abastecido o mercado europeu através de suas unidades na Austrália.

Edição de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below