15 de Agosto de 2008 / às 23:27 / em 9 anos

ELEIÇÃO-Tática difere "minoritários" e "latifundiários" no Rio

Por Carla Marques

RIO DE JANEIRO, 15 de agosto (Reuters) - Os “minoritários” do tempo de propaganda eleitoral gratuita na eleição à prefeitura do Rio de Janeiro vão se desdobrar para transmitir sua mensagem, enquanto os “latifundiários” de muitos minutos desenvolvem estratégias mais elaboradas.

Na televisão, o programa do líder nas últimas pesquisas de intenção de votos, o senador Marcelo Crivella, do PRB, mostrará na primeira semana o apoio do vice-presidente, José Alencar, mas vai anunciar as caminhadas que fará pela cidade para compensar o limite de 1 minuto e 51 segundos. A campanha de Crivella é coordenada por Duda Mendonça.

Com apenas 57 segundos, o programa do deputado federal Chico Alencar (PSOL) contará com mensagens curtas e concisas, tentando guiar o eleitor até o site da campanha, onde poderá ter acesso a informações e propostas.

Para José Luís Fevereiro, coordenador de site, rádio e TV de Chico Alencar, é preciso “operar um milagre da comunicação”. No primeiro dia, haverá apenas duas falas do candidato, cenas de rua e um depoimento final da senadora Heloísa Helena. O PSOL tenta ainda se apresentar como único partido de esquerda da eleição municipal.

ALLENDE E RIO 92

Se os representantes de legendas menos favorecidas em tempo buscam formas criativas de passar suas mensagens, os “latifundiários” do tempo de TV desenvolvem programas mais elaborados.

O deputado federal Fernando Gabeira (PV), que tem o segundo maior tempo disponível, 4 minutos e 46 segundos, apostará em relatos biográficos.

Na primeira semana, os programas resgatarão sua participação em conjunturas históricas, como a ditadura militar, o golpe contra o ex-presidente do Chile, Salvador Allende, a Eco-Rio 92, o assassinato de Chico Mendes e a cassação do ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti.

Segundo a coordenação da campanha, assinada pelo publicitário Lula Vieira, a internet continuará sendo crucial: já foram publicados mais de 100 fotos e 60 vídeos no site oficial de Gabeira. Novas ferramentas interativas também devem ser incorporadas nas próximas semanas.

Com o maior tempo entre os candidatos, 6 minutos e 48 segundos, o programa de Eduardo Paes (PMDB) seguirá o formato de revista eletrônica. Paes pretende evitar questões políticas que extrapolem o âmbito municipal.

“O eleitor não está interessado em questionamentos políticos, mas nas coisas que afetam seu dia-a-dia”, afirma Renato Pereira, da equipe de comunicação do pemedebista.

APOIOS POLÍTICOS

Com menos da metade do tempo de Eduardo Paes, que ainda aparecerá na televisão ao lado do governador Sérgio Cabral, Jandira Feghali (PCdoB) usará seus 2 minutos e 28 segundos para apresentar propostas de governo, focando em temas como dengue e atendimento na rede municipal de saúde.

Segundo o publicitário Paulo de Tarso Lobão, a polêmica sobre a descriminalização do aborto, que esquentou a campanha de Jandira para o Senado em 2006, não deverá entrar na disputa pela prefeitura carioca: “Isso era assunto legislativo, não municipal”. O objetivo é abordar questões específicas do cotidiano dos moradores da cidade.

Afilhada política do prefeito Cesar Maia, a candidata do DEM,Solange Amaral, tem gravado exclusivamente externas para sua primeira semana no horário eleitoral gratuito, no qual terá 3 minutos e 36 segundos.

Serão exibidos propagandas sobre realizações do grupo do atual prefeito nos últimos 15 anos, período em que ele manteve hegemonia no poder municipal. As áreas de educação, obras públicas e equipamentos, esportes (ênfase nos Jogos Pan-Americanos) e servidor público serão prioridade na campanha democrata.

De acordo com Marcelo Maia, coordenador de audiovisual, os programas devem reforçar o vínculo entre a imagem de Solange e a de Cesar Maia.

O candidato petista Alessandro Molon, que tem 4 minutos e quatro segundos, vai apostar suas fichas no apoio de personalidades do primeiro escalão do governo federal.

Convocados para dar fôlego à sua campanha, os ministros Tarso Genro (Justiça), Patrus Ananias (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência), Fernando Haddad (Educação) e Nilcéia Freire (Secretaria Especial de Políticas Públicas para Mulheres) já participaram de gravações.

Também estarão no programa de TV de Molon a senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e o presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini. O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e os ministros Carlos Minc (Meio Ambiente) e Edson Santos (Igualdade Racial) devem gravar em breve.

Edição de Mair Pena Neto

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below