17 de Outubro de 2008 / às 18:45 / em 9 anos

ATUALIZA2-BC começa a garantir crédito para exportadores na 2a

(Texto atualizado com volume do leilão de 2a-feira no 3o parágrafo)

Por Renato Andrade

SÃO PAULO, 17 de outubro (Reuters) - O Banco Central inicia na próxima semana a conceder a bancos empréstimos em moeda estrangeira especificamente voltados ao financiamento dos exportadores.

Todos os bancos que têm autorização para operar no mercado de câmbio brasileiro poderão ter acesso aos empréstimos, segundo explicou nesta sexta-feira o presidente do BC, Henrique Meirelles.

O primeiro leilão deste tipo será feito na segunda-feira. O Banco Central ofertará até 2 bilhões de dólares e o empréstimo vencerá em 20 de abril de 2009. O custo do empréstimo será a variação da taxa Libor mais um adicional a ser estabelecido no ato da operação.

De acordo com Meirelles, os bancos interessados em tomar esses recursos darão como garantia títulos da dívida externa brasileira, os chamados títulos soberanos.

Os ativos a serem aceitos como garantia serão ampliados a partir do segundo leilão, ainda sem data definida. Além dos papéis da dívida externa, serão aceitos operações de Adiantamento sobre Contratos de Câmbio (ACC), Adiantamento sobre Cambiais Entregues (ACE) e títulos soberanos de outros países, desde que tenham um rating mínimo “A”.

“É uma medida extremamente positiva e possível porque hoje o Brasil dispõe de reservas internacionais volumosas... recursos suficientes para endereçar um problema que é criado no exterior e que reflete no mundo todo, inclusive no Brasil”, afirmou Meirelles.

Esses empréstimos fazem parte de uma série de medidas que foram adotadas pelo Banco Central nas últimas semanas para tentar dar fôlego ao mercado de crédito brasileiro, que sofreu impacto direto do congelamento das operações nos mercados externos.

Para garantir que os recursos emprestados sejam efetivamente colocados à disposição das empresas exportadoras, o BC irá fiscalizar os bancos por meio de acompanhamento do volume de operações de ACC realizadas pelos bancos que tomarem os empréstimos.

“O Banco Central tem acesso a todas as linhas de financiamento externo do banco e tem acesso ao volume de ACCs concedidos pelo banco, e o BC também tem acesso ao volume de empréstimos obtidos... então certamente fica de fácil verificação saber que o volume de ACCs concedidos pelo banco é, no mínimo, igual ao valor do empréstimo obtido pelo banco”, acrescentou Meirelles.

Para ele, o estabelecimento dessa modalidade de empréstimo não deve ser entendido como sinal de problemas de eficiência nas demais medidas anunciadas.

“As medidas tomadas têm funcionado e têm funcionado de maneira bastante satisfatória. Esta medida que é agora permitida... é mais adequada e é a operação que tem o perfil correto para o financiamento do comércio exterior”, disse.

Edição de Daniela Machado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below