March 17, 2008 / 10:59 AM / 10 years ago

China diz estar usando moderação em crise no Tibet

PEQUIM (Reuters) - A China disse na segunda-feira que mostrou grande prudência para enfrentar os protestos violentos de tibetanos, que o governo chinês afirma terem sido orquestrados por seguidores do Dalai Lama que buscam ofuscar os Jogos Olímpicos de Pequim, marcados para agosto.

China diz estar usando moderação em crise no Tibet. A China disse que mostrou grande prudência para enfrentar os protestos violentos de tibetanos, que o governo chinês afirma terem sido orquestrados por seguidores do Dalai Lama que buscam ofuscar os Jogos Olímpicos de Pequim. 17 de março. Photo by Reuters (Handout)

Mas apesar de o governador do Tibet afirmar que não foram usadas armas contra os manifestantes na capital regional Lhasa, tropas atuaram em regiões vizinhas para garantir o controle após os protestos.

Além disso, Lhasa vivia a contagem regressiva para o fim do prazo, que vence à meia-noite, dado pelas autoridades para que os manifestantes se entregassem ou enfrentassem punições mais duras.

O governador do Tibet, Qiangba Puncog, disse que as manifestações foram provocadas por seguidores do Dalai Lama. “Nesse momento um pequeno grupo de separatistas e elementos fora-da-lei se engajam em atos extremistas com o objetivo de gerar ainda mais publicidade para prejudicar a estabilidade durante o período crucial dos Jogos Olímpicos —mais de 18 anos de estabilidade duramente conquistada”, disse.

Um tibetano da região de Aba, em Sichuan, disse que novos protestos aconteceram próximos a duas escolas tibetanas na segunda-feira, com centenas de estudantes enfrentando policiais e soldados.

O morador, que pediu para não ter seu nome revelado, disse que 18 pessoas, entre elas monges budistas e estudantes, foram mortas quando soldados abriram fogo contra eles no domingo. Mais cedo, segundo ele, um policial foi queimado e morto. Seus relatos não puderam ser imediatamente checados.

Representantes tibetanos exilados em Dharamsala, na Índia, disseram no domingo que o número de mortos na repressão aos protestos é de 80.

Mas Qiangba Puncog disse que somente 13 “civis inocentes” foram mortos e dezenas de integrantes das forças de segurança ficaram feridos em Lhasa.

“Posso dizer com toda responsabilidade que não usamos armas letais”, disse ele em Pequim, acrescentando que somente gás lacrimogêneo e canhões de água foram usados para debelar as manifestações.

Resportagem adicional de John Ruwitch em Sichuan, Benjamin Kang Lim e Guo Shipeng em Pequim, Jonathan Allen em Dharamsala

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below