18 de Março de 2008 / às 21:54 / em 10 anos

Fed corta juro em 0,75 ponto e balanço de bancos ajuda

Por Mark Felsenthal e Christian Plumb

WASHINGTON/NOVA YORK (Reuters) - O Federal Reserve cortou nesta terça-feira a taxa de juro em 0,75 ponto percentual, dando fôlego aos mercados de Wall Street que já repercutiam positivamente os resultados acima do esperado de importantes bancos de investimentos.

A ação do Fed, por 8 votos a 2, é parte de um intenso esforço do banco central para evitar uma recessão e o colapso dos mercados financeiros. O movimento do Fed levou a taxa básica de juro norte-americana a 2,25 por cento, menor nível desde fevereiro de 2005.

“Os mercados financeiros se mantêm sob considerável estresse, e as condições apertadas do crédito e a queda mais forte no setor imobiliário devem pesar sobre o crescimento econômico nos próximos trimestres”, apontou o Fed.

Mesmo sendo menor que esperado por alguns analistas, o corte ajudou a impulsionar as ações --que já subiam com os resultados de Goldman Sachs e Lehman Brothers .

O Goldman Sachs, que em grande parte conseguiu evitar perdas relacionadas ao setor de hipotecas, afirmou que os resultados do primeiro trimestre caíram pela metade. Ainda assim, o resultado superou as expectativas.

O Lehman Brothers, que teve as ações pressionadas nos últimos dias com preocupações de que estaria mais vulnerável assim como o Bear Stearns, anunciou queda na receita com operações com bônus, mas se beneficiou da crescente receita de sua divisão de fusões.

PRONTO PARA AGIR

Em comunicado, o Fed acrescentou que os riscos ao crescimento econômico permanecem mesmo com o corte da taxa de juros, sugerindo uma abertura para novas reduções se necessário.

Mas houve a primeira discordância dupla desde setembro de 2002: duas autoridades do Fed preferiam uma ação menos agressiva.

“O Fed mostrou que está focado em colocar a economia em pé antes de mais nada, e eles irão se preocupar com a inflação depois”, disse K. Daniel Libby, gerente sênior de portfólio na Sands Brothers Select Access Fund.

A ação do Fed vem dois dias depois de o banco central anunciar 30 bilhões de dólares em financiamento para facilitar a venda do banco de investimento Bear Stearns, uma intervenção incomun que autoridades do banco chamaram de necessária para prevenir um efeito dominó no sistema financeiro.

O acordo sobre o Bear Stearns foi o último em uma série de medidas emergenciais do Fed --algumas não eram usadas desde a Grande Depressão-- para assegurar que as instituições financeiras tenham liquidez.

O Fed acumula agora corte de 3 pontos percentuais no juro desde meados de setembro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below