September 18, 2008 / 9:27 PM / 10 years ago

PANORAMA2-Crise externa faz dólar disparar e leva BC ao mercado

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 18 de setembro (Reuters) - A crise global afetou o Brasil nesta quinta-feira do jeito mais tradicional: fez o dólar disparar. O curto-circuito provocado pela escassez de crédito em moeda estrangeira jogou a moeda norte-americana acima de 1,96 real no pior momento do dia e forçou o Banco Central a agir.

A autoridade monetária anunciou que vai vender dólares ao mercado com compromisso de recompra para suprir a necessidade de muitos agentes, como exportadores, por financiamento.

“O que está acontecendo é um aperto de liquidez lá fora”, explicou Joel Bogdanski, consultor de análise econômica do Banco Itaú.

Há dólares no mercado —o fluxo cambial foi positivo nas duas primeiras semanas de setembro. Mas pouca gente, aqui ou no exterior, quer emprestar a moeda norte-americana em meio à crise internacional e após a disparada dos últimos dias, que acompanhou as apostas cada vez maiores na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pela desvalorização do real.

Após o anúncio, o dólar perdeu um pouco de força no fechamento. O mercado futuro, que continuou operando, indicava um alívio mais significativo na sexta-feira.

Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanhou com ânimo a recuperação de Wall Street. As bolsas de valores norte-americanas tiveram o melhor dia em seis anos com a informação não confirmada de que o secretário do Tesouro, Henry Paulson, vai apresentar uma solução mais ampla para a crise financeira.

A idéia de Paulson, segundo um assessor legislativo que preferiu não se identificar, é criar algo semelhante à Resolution Trust Corporation (RTC), usada na crise de poupança e empréstimo (savings and loan) do fim dos anos 1980.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,921 real, em alta de 2,89 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 5,18 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa decolou 5,48 por cento, a 48.422 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 7,5 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 2,73 por cento, aos 26.115 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 subiu a 14,05 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 avançou a 15,30 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 126,875 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,16 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil desabava 50 pontos, a 323 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 401 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI avançou 3,86 por cento, a 11.019 pontos. O Nasdaq .IXIC disparou 4,78 por cento, para 2.199 pontos. O índice S&P 500 .SPX exibiu alta de 4,33 por cento, aos 1.206 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia para 3,56 por cento no final da tarde ante 3,43 por cento na quarta-feira.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

Reportagem adicional de Aluísio Alves e Fabio Gehrke; Edição de Daniela Machado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below