18 de Setembro de 2008 / às 21:27 / 9 anos atrás

PANORAMA2-Crise externa faz dólar disparar e leva BC ao mercado

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 18 de setembro (Reuters) - A crise global afetou o Brasil nesta quinta-feira do jeito mais tradicional: fez o dólar disparar. O curto-circuito provocado pela escassez de crédito em moeda estrangeira jogou a moeda norte-americana acima de 1,96 real no pior momento do dia e forçou o Banco Central a agir.

A autoridade monetária anunciou que vai vender dólares ao mercado com compromisso de recompra para suprir a necessidade de muitos agentes, como exportadores, por financiamento.

"O que está acontecendo é um aperto de liquidez lá fora", explicou Joel Bogdanski, consultor de análise econômica do Banco Itaú.

Há dólares no mercado --o fluxo cambial foi positivo nas duas primeiras semanas de setembro. Mas pouca gente, aqui ou no exterior, quer emprestar a moeda norte-americana em meio à crise internacional e após a disparada dos últimos dias, que acompanhou as apostas cada vez maiores na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pela desvalorização do real.

Após o anúncio, o dólar perdeu um pouco de força no fechamento. O mercado futuro, que continuou operando, indicava um alívio mais significativo na sexta-feira.

Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanhou com ânimo a recuperação de Wall Street. As bolsas de valores norte-americanas tiveram o melhor dia em seis anos com a informação não confirmada de que o secretário do Tesouro, Henry Paulson, vai apresentar uma solução mais ampla para a crise financeira.

A idéia de Paulson, segundo um assessor legislativo que preferiu não se identificar, é criar algo semelhante à Resolution Trust Corporation (RTC), usada na crise de poupança e empréstimo (savings and loan) do fim dos anos 1980.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,921 real, em alta de 2,89 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 5,18 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa decolou 5,48 por cento, a 48.422 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 7,5 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 2,73 por cento, aos 26.115 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 subiu a 14,05 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 avançou a 15,30 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 126,875 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,16 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil desabava 50 pontos, a 323 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 401 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI avançou 3,86 por cento, a 11.019 pontos. O Nasdaq .IXIC disparou 4,78 por cento, para 2.199 pontos. O índice S&P 500 .SPX exibiu alta de 4,33 por cento, aos 1.206 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia para 3,56 por cento no final da tarde ante 3,43 por cento na quarta-feira.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

Reportagem adicional de Aluísio Alves e Fabio Gehrke; Edição de Daniela Machado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below