21 de Maio de 2008 / às 20:53 / 9 anos atrás

BOVESPA-Pessimismo do Fed com economia dos EUA derruba índice

(Texto atualizado com mais informações e fechamento oficial da bolsa)

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 21 de maio (Reuters) - O efeito de previsões de mais inflação e de menos crescimento econômico nos Estados Unidos sobre Wall Street puseram fim a um ciclo de quatro recordes seguidos na Bolsa de Valores de São Paulo.

O Ibovespa .BVSP, que já exibia leve queda desde a abertura, encerrou a sessão desta quarta-feira com declínio de 1,66 por cento, aos 72.294 pontos. O giro financeiro totalizou 7,6 bilhões de reais.

A autoridade monetária dos Estados Unidos reduziu nesta quarta-feira a previsão de crescimento econômico e aumentou a da inflação e do desemprego no país em 2008, e também indicou que não deve cortar os juros novamente no curto prazo.

Na Bolsa de Nova York, o índice Dow Jones .DJI teve queda de 1,77 por cento, enquanto o S&P .SPX recuou 1,6 por cento.

“O teor negativo da ata da última reunião do Fed detonou uma realização de lucros”, disse Hamilton Moreira, analista senior do BB Investimentos.

De fato, a notícia caiu como uma luva para os investidores que buscavam um bom motivo para embolsar ganhos com ações negociadas na Bovespa. O principal principal índice da bolsa acumulava alta de 16 por cento nas últimas três semanas, desde que a agência Standard & Poor’s concedeu aos títulos soberanos do Brasil o grau de investimento.

Na véspera de feriado de Corpus Christi, o movimento atingiu em cheio empresas ligadas a commodities, tais como a Usiminas, cujas ações preferenciais (USIM5.SA) desabaram 3,7 por cento, para 88,80 reais. As preferenciais da Vale (VALE5.SA) perderam 2,9 por cento, valendo 56,90 reais; enquanto as preferenciais da Gerdau (GGBR4.SA) tiveram perda de 2,7 por cento, a 82,00 reais.

Mas as líderes de perdas do Ibovespa foram as preferenciais da operadora de TV por assinatura NET NETC4.SA, que registraram queda de 6,6 por cento, cotadas a 23,02 reais, depois que a corretora Merrill Lynch reduziu a recomendação para os papéis da empresa de compra para neutro.

A pressão sobre o índice foi parcialmente contida pelo carro-chefe da Bovespa, as ações preferenciais da Petrobras (PETR4.SA), que subiram 1,6 por cento, para 52,51 reais, na esteira de novos recordes na cotação do petróleo.

No mês, em meio à combinação de escalada do petróleo a novos recordes e rumores de que a companhia está prestes a anunciar novas reservas gigantescas do óleo, as ações já subiram 24 por cento.

Edição de Isabel Versiani

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below