23 de Abril de 2008 / às 23:28 / 9 anos atrás

Com apoio do PMDB, Kassab ainda quer atrair tucanos

SÃO PAULO (Reuters) - O PMDB fechou acordo com o DEM para apoiar a candidatura de Gilberto Kassab à prefeitura de São Paulo. Com a decisão, o prefeito terá o maior tempo de TV no horário eleitoral gratuito, um dos itens mais disputados pelos candidatos.

"Está confirmada a entrada do PMDB na aliança de partidos que vai apoiar a candidatura de Kassab", disse um assessor do prefeito.

Na quinta-feira, Kassab e o PMDB, na figura do presidente Orestes Quércia, vão oficializar a coligação. O prefeito vai à sede do PMDB estadual, onde será realizada reunião da executiva do partido.

Para Kassab, o acordo com o PMDB não exclui a tentativa de manter o elo com o PSDB. Kassab assumiu a prefeitura com a eleição de José Serra, de quem era vice, para governador. Serra apóia a manutenção da aliança em torno de Kassab, mas o ex-governador Geraldo Alckmin pretende ser o candidato pelo PSDB.

O acordo entre Kassab e o PMDB retira grande parte do fôlego da eventual candidatura de Geraldo Alckmin, do PSDB.

"O PMDB é bem-vindo e espero que o partido amplie a aliança que conta com a participação do PSDB na gestão da cidade", disse Kassab.

VICE E SENADO

Em nota, o PMDB paulista indica os termos do acordo com o DEM, que prevê a peemedebista Alda Marco Antonio para vice e o apoio do DEM a Quércia a uma vaga no Senado na eleição de 2010.

A engenheira Alda Marco Antonio, derrotada ao Senado em 2006, foi secretária nos governos de Franco Montoro (Trabalho), Quércia e Antonio Fleury Filho (do Menor, em ambos).

Quércia teve em Kassab o principal interlocutor entre os pré-candidatos à prefeitura paulistana deste ano. Ele, no entanto, também estava em negociações avançadas com Marta Suplicy (PT) e conversou ainda com Geraldo Alckmin.

"A afinidade entre Quércia e Kassab é maior", disse um auxiliar do presidente do PMDB.

O ex-governador peemedebista goza de autonomia no Estado de São Paulo para negociar acordos, como atesta um companheiro de legenda. "Quércia tem conversado sozinho em nome do partido", disse o presidente do PMDB municipal, Bebeto Hadad.

Com 92 deputados federais, a maior bancada da Câmara, critério para o estabelecimento de tempo na mídia, o PMDB tem o maior período de exposição na TV (4,5 minutos). Somados aos 3 minutos do DEM. Kassab terá 7,5 minutos na TV. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), os cálculos para cada partido são realizados após as convenções partidárias que oficializam as candidaturas, realizadas em junho.

Marta esteve próxima de um acordo com Quércia, com quem teve encontro pessoal em março. O PT, no entanto, perdeu espaço ao indicar o escritor Fernando Morais para a vice. "É prática do PT, concorda mas depois impõe", disse um dirigente peemedebista.

O PT deverá buscar apoios no PR e no chamado bloquinho de esquerda (PSB, PDT e PCdoB). O PSB, segundo declarou o deputado Ciro Gomes (CE), está negociando apoio com todos os candidatos, o que inclui Kassab e Alckmin. (Reportagem de Carmen Munari)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below