24 de Abril de 2008 / às 10:43 / 9 anos atrás

RPT-PF prende funcionário do banco Credit Suisse

(Repete texto publicado no final da noite de quarta-feira)

Por Elzio Barreto

SÃO PAULO, 24 de abril (Reuters) - A Polícia Federal prendeu na quarta-feira um funcionário do Credit Suisse como parte de uma investigação de dois anos sobre lavagem de dinheiro e sonegação de impostos na instituição suíça.

Christian Peter Weiss foi preso no Rio de Janeiro por ajudar a operar um sistema ilegal de transferência de dinheiro, afirmou a Polícia Federal em comunicado.

Weiss será acusado de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta, operação ilegal de instituições financeiras e formação de quadrilha, entre outros itens, diz o comunicado da PF.

Na mais recente investigação sobre transferências ilegais, os policiais federais seguiram Weiss por quase 10 dias em São Paulo, onde ele se reunia com clientes e potenciais clientes antes de ser preso.

O Ministério Público Federal em São Paulo afirmou que Weiss seria acusado junto de outros 13 funcionários e ex-empregados do Credit Suisse, como parte da "Operação Suíça", iniciada em 2006 quando a PF entrou em escritórios do Credit Suisse em São Paulo e nas residências de quatro dos seus executivos.

A PF tem promovido ações contra transferências ilegais nos últimos anos, investigando bancos internacionais para ver se eles ajudavam brasileiros a sonegar impostos.

Em 2007, a polícia prendeu 20 pessoas, incluindo funcionários do UBS, do Clariden --uma unidade do Credit Suisse-- e do AIG Private Bank. Na época, a polícia afirmou que o esquema ajudava a evasão de quase 1 bilhão de reais em impostos com transferências ilegais.

Weiss e outros funcionários do Credit Suisse usam "procedimentos que, literalmente, atropelam e ignoram, por completo, a legislação penal financeira brasileira", diz o comunicado do Ministério Público Federal em São Paulo.

A polícia afirmou que Weiss e outros executivos do banco suíço periodicamente voavam para o Brasil para ter contato direto com clientes antigos e atrair novos.

O Credit Suisse continuou a oferece serviços de private banking no Brasil mesmo depois de fechar seu escritório de representação no país, disse a polícia.

"O Credit Suisse adere aos mais altos padrões legais e éticos e tem obedecimento estrito a normas de procedimento e vai se defender e aos seus funcionários vigorosamente dessas acusações", disse Cristina von Bargen, porta-voz do Credit Suisse em Nova York.

Vários brasileiros com contas numeradas no Credit Suisse foram identificados e serão investigados, disse a PF.

Reportagem adicional de Dane Hamilton em Nova York

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below