25 de Março de 2008 / às 11:04 / em 10 anos

PANORAMA1-Com agenda fraca, mercado opera em clima de espera

SÃO PAULO, 25 de março (Reuters) - O clima de espera deve imperar nos mercados financeiros nesta terça-feira de fraca agenda econômica. Após o forte rali na abertura da semana, as principais bolsas de valores aguardam importantes dados sobre a economia dos Estados Unidos --como o de vendas de moradias, na quarta-feira, e a leitura final do Produto Interno Bruto do quarto trimestre, na quinta-feira.

No Brasil, o Banco Central divulga ainda nesta manhã informações sobre as operações de crédito e o spread bancário em fevereiro.

A perspectiva da Tendências Consultoria é de que os empréstimos totais à pessoa física tenham crescido 28 por cento, atingindo 331 bilhões de reais. Para a pessoa jurídica, a estimativa é de expansão de 27,5 por cento.

O forte aquecimento do financiamento ao consumo tem preocupado o governo, que teme que o Banco Central eleve o juro para debelar pressões inflacionárias.

COMMODITIES E ENERGIA

O presidente-executivo da Vale, Roger Agnelli, vai conversar com jornalistas em São Paulo por volta das 14h30, após participar de evento na cidade. Há expectativa sobre eventuais comentários abordando o estágio das negociações para a possível compra da mineradora anglo-suíça Xstrata.

Em Brasília, o governo vai apresentar a proposta para a renegociação da dívida agrícola. Participam da reunião os ministros da Agricultura, Reinhold Stephanes, da Fazenda, Guido Mantega, e do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, além de parlamentares da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados.

POLÍTICA

O relator da reforma tributária, deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), apresenta seu parecer propondo duas mudanças: a retirada do dispositivo que exclui as operações com petróleo e energia elétrica do recolhimento de 2 por cento do ICMS na origem e a competência à Câmara de elaborar o projeto de lei complementar que vai instituir o novo ICMS unificado.

Veja como encerraram os principais ativos na segunda-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,747 real, em alta de 0,81 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 3,775 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa subiu 1,4 por cento, a 59.812 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,84 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 1,3 por cento, aos 34.570 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) fechou em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 ficou estável a 12,21 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 subiu a 13,20 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 133,5 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,43 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil caía 20 pontos, 271 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 292 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI avançou 1,52 por cento, a 12.548 pontos. O Nasdaq .IXIC ganhou 3,04 por cento, para 2.326 pontos. O índice S&P 500 .SPX subiu 1,53 por cento, aos 1.349 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento avançava para 3,56 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

Por Daniela Machado e Marcelo Teixeira; Edição de Vanessa Stelzer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below