25 de Setembro de 2008 / às 20:41 / 9 anos atrás

CONSOLIDA-Congresso trabalha em pacote nos EUA; mercado festeja

Por Tom Ferraro e Richard Cowan

WASHINGTON, 25 de setembro (Reuters) - Os parlamentares do Congresso norte-americano passaram a quinta-feira trabalhando para tentar fechar um acordo sobre o pacote de 700 bilhões de dólares para o sistema financeiro, o que animou o mercado e fez o dólar se valorizar.

A notícia também trouxe alívio para o mercado de crédito, que estava praticamente paralisado devido à relutância dos bancos em emprestar seu dinheiro.

Mas, da França à China, autoridades manifestaram preocupação.

“Uma crise de confiança sem precedentes está abalando a economia global”, disse o presidente da França, Nicolas Sarkozy, num discurso em Toulon.

O aparente acordo foi indicado ainda antes do encontro convocado para as 17h (horário de Brasília) pelo presidente George W. Bush com os dois candidatos à sua sucessão, o republicano John McCain e o democrata Barack Obama.

O democrata Christopher Dodd, presidente da Comitê Bancário do Senado, afirmou que negociadores da Câmara e do Senado haviam obtido um “acordo fundamental” sobre o conjunto de princípios que regulamentará o pacote.

Prevendo uma noite de barganhas finais, o líder republicano na Câmara, John Boehner, disse em nota que seu partido ainda não fechou questão, mas que ele se sente “estimulado pelo progresso bipartidário”.

Outros republicanos foram ainda mais otimistas. O senador Robert Bennett disse, após uma reunião a portas fechadas, que “teremos um plano que pode passar na Câmara, passar no Senado e ser assinado pelo presidente”.

O influente democrata Barney Frank, presidente do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, disse que o acordo vai liberar em etapas o dinheiro para que o Tesouro compre dívidas “podres” e saneie instituições financeiras em apuros. O governo Bush queria os 700 bilhões de dólares de uma só vez.

Frank disse ainda que o acordo permitirá que o governo entre como sócio em bancos, e proíbe o pagamento de benefícios milionários a executivos de empresas que estão se livrando dos títulos “podres”, além de garantir medidas de ajuda a mutuários inadimplentes no sistema habitacional.

Apesar de todo o pacote custar mais do que a guerra do Iraque até agora, o governo diz que a medida é necessária para evitar um colapso total do sistema financeiro. A perspectiva de aprovação animou as bolsas, que fecharam em alta, e o dólar, que se recuperou das últimas perdas.

Mas há temores de que o pacote não seja suficiente para salvar os EUA de uma recessão ou de uma forte desaceleração com repercussões globais.

O ministro alemão de Finanças, Peer Steinbrueck, disse que um dos possíveis resultados da crise é que os EUA se tornarão menos dominantes no sistema financeiro global.

Reportagem adicional de Richard Cowan, Alister Bull, David Lawder, Kevin Drawbaugh, Glenn Somerville, Noah Barkin, Richard Leong e Ellis Mnyandu

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below