26 de Agosto de 2008 / às 19:01 / 9 anos atrás

Gabeira defende gestão de mercado nos órgãos públicos

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Da ala dos ex-petistas, o deputado federal e candidato à prefeitura do Rio Fernando Gabeira (PV) promete, caso eleito, implantar "uma burocracia impessoal e eficaz" nos órgãos do município, incluindo hospitais.

Com discurso mais próximo ao do PSDB, principal partido de sua coligação, Gabeira disse nesta terça-feira que buscará profissionais capacitados no mercado e criticou o loteamento político dos cargos públicos.

Em sabatina promovida pelo Grupo Estado, o candidato afirmou ainda que a máquina administrativa de seu governo não será ocupada pelos partidos aliados, PSDB e PPS.

Enquanto boa parte dos seus rivais na disputa eleitoral conta com a generosidade dos cofres federais para implantar projetos, Gabeira prefere apostar na iniciativa privada. Ele cita como exemplo o modelo de desenvolvimento urbano dos Estados Unidos:

"Em Nova York, não é o governo que vai reconstruindo áreas, mas a iniciativa privada. O governo apenas cria a base para que se possa entrar naquela área".

Na linha de terceirização dos serviços da prefeitura, Gabeira pretende resolver a questão dos guardadores ilegais de carros com abertura de licitações para empresas privadas. Solução parecida seria empregada na revitalização da região portuária e do restante do Centro.

O candidato disse também que está sendo sondado por companhias asiáticas interessadas na implantação e concessão de uma ciclovia carioca. Gabeira classificou como "elefante branco" a Cidade da Música, alto investimento da gestão Cesar Maia, e afirmou que o empreendimento também será terceirizado.

"FALSO HUMANISMO"

Gabeira elogiou o programa federal Bolsa Família, por dar "dignidade" aos desfavorecidos, e criticou o "populismo" dos políticos cariocas que teriam permitido a expansão das favelas pela cidade. Para o candidato, o argumento de "que as pessoas podem morar onde queiram, é falso humanismo".

Para evitar o surgimento de novas favelas, Gabeira sugeriu o monitoramento por programas via satélite do Google. A prefeitura interviria com "uma negociação" para que os ocupantes deixassem o local. "Humanismo é congelar a expansão das favelas", defende Gabeira.

Ostentando a desenvoltura de quem conhece vários países, ele ilustrou muitas de suas propostas com exemplos de políticas públicas suecas, inglesas, alemãs, americanas e colombianas.

Com elogios à primeira administração de Cesar Maia no Rio e ressalvas à falta de "temperamento" político do PSDB em atuar como oposição, Gabeira mantém distância tanto do governo federal como do estadual.

Ele garante que isso não será problema, já que "o prefeito não precisa ser pau mandado do governador e do presidente". (Reportagem de Carla Marques)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below