28 de Outubro de 2008 / às 17:55 / em 9 anos

ATUALIZA-Telefônica quer se diferenciar com serviço de automação

(Texto reescrito com mais informações e declarações do presidente da companhia)

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO, 28 de outubro (Reuters) - A Telefônica TLPP4.SA investiu este ano 123 milhões de reais para ampliar a cobertura de sua rede de fibras ópticas para os lares de seus clientes, serviço conhecido como Fiber to the Home (FTTH) que está atualmente presente em 40 mil domicílios de São Paulo. Com os investimentos, eles passam a cobrir 370 mil residencias até o final de 2008 e saem da capital paulista, passando a abranger também municípios da região metropolitana e duas cidades do interior do Estado.

A oferta de banda larga e o mundo IP serão a base da estratégia da companhia para se diferenciar das demais. Segundo o presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, “o lar digital, ou o ambiente digital, é a nossa aposta”, afirmou ele a jornalistas durante a feira de telecomunicações Futurecom.

Segundo ele, a decisão de investir em serviços de automação e integração de eletromésticos dentro de casa é a estratégia da companhia para se diferenciar. “Precisamos colocar outros elementos (na nossa oferta) para que o cliente nos selecione”, disse o executivo.

Além de se diferenciar dos concorrentes, Valente acredita que a alternativa também vai gerar receita adicional à operadora, cuja receita hoje é muito dependente do tráfego de voz. Em nenhum outro país, no entanto, o grupo Telefónica (TEF.MC) optou por essa estratégia, disse o executivo.

Com a banda larga, a operadora acredita que os consumidores vão se interessar em integrar todos os equipamentos da casa para terem a capacidade de gerenciá-los remotamente. Por isso, o grupo testa protótipos de equipamentos para incluir nessa oferta. A idéia é que o controle seja feito pelo usuário via rede IP, de dentro ou de fora da casa.

Segundo Valente, a companhia negocia parcerias e seleciona fornecedores para fazer o lançamento comercial desses dispositivos em 2009.

PRIMEIRO CONTRATO FECHADO

Ainda este ano, o grupo pretende começar a oferecer serviços de automação residencial para as classes de maior poder aquisitivo. Segundo Valente, os serviços vão permitir o controle de forma integrada da iluminação, áudio, vídeo e segurança do lar.

De acordo com o executivo, a companhia já fechou, inclusive, o primeiro contrato desse serviço com uma construtora do Rio de Janeiro, a CHL, que pretende automatizar apartamentos de seus novos empreendimentos, com previsão de lançamento em dois anos.

Ainda que tenha dito que a companhia está na fase de “ajustes do plano estratégico”, Valente negou que a empresa esteja revendo qualquer das previsões de investimento por conta da crise nos mercados financeiros globais.

“O plano é de três anos, mas vai sendo aos poucos detalhado no orçamento”, explicou ele. De acordo com o executivo, a orientação da companhia caso o preço da fibra óptica suba por conta da valorização do dólar contra o real é a de que “tem que negociar” com o fornecedor.

“Estamos vivendo um momento que ninguém acha que é permanente, ninguém acha que isso vá se configurar para 2009”, disse ele, adicionando que ainda não aconteceu nenhum tipo de renegociação com os fornecedores.

Edição de Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below