28 de Março de 2008 / às 20:50 / em 10 anos

AGENDA POLÍTICA-Suposto dossiê dos cartões entra em debate

SÃO PAULO (Reuters) - O episódio do suposto dossiê que o governo teria preparado sobre gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e da ex-primeira-dama Ruth Cardoso deve dominar o cenário político na próxima semana.

O caso está na esfera da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, um dos nomes mais cotados para a sucessão presidencial.

Depois da divulgação pela revista Veja da existência da organização dos dados, a Folha de S.Paulo apontou Erenice Alves Guerra, secretária-executiva da Casa Civil, como tendo ordenado o levantamento de informações para compor um suposto dossiê de despesas com cartões corporativos e contas tipo B (gastos reembolsados a servidores) do ex-presidente Fernando Henrique e Ruth Cardoso.

O governo vem admitindo o levantamento da coleta de informações, mas nega a criação de um dossiê. Nesta sexta-feira, a oposição pediu explicações de Dilma, enquanto se arma para pedir novamente a covocação da ministra para depor na CPI dos cartões corporativos.

Veja a seguir os principais eventos da semana:

SEGUNDA-FEIRA

-- O presidente Lula cumpre agenda no Rio de Janeiro. Visita pela manhã as obras de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em Itaboraí e, em Duque de Caxias, lança obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

-- O ministro José Múcio Monteiro participa da abertura do 52 Congresso Estadual de Municípios, promovido pela Associação Paulista de Municípios (APM), em Santos.

TERÇA-FEIRA

-- O relator da comissão que analisa mudanças na tramitação das medidas provisórias, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), adiou para esta semana a divulgação de seu relatório. Ainda assim ele disse que não há consenso em itens básicos como prazo de vigência que hoje é de 120 dias e há propostas de 175 a 205 dias. O fim do trancamento da pauta de votações está acertado, mas a prioridade de votação deve permanecer de outras formas. A Comissão de Constituição e Justiça deve ter dez dias para avaliar a MP.

-- A Câmara dos Deputados tem na fila 13 MPs, enquanto no Senado são cinco.

-- Sessão da CPI dos Cartões Corporativos não tem depoentes e deve votar requerimentos de convocação.

QUARTA-FEIRA

-- A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara vota parecer do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), o mesmo das MPs, sobre a reforma tributária. Entre as modificações do relator, Estados exportadores de petróleo e energia elétrica passam a recolher 2 por cento de ICMS quando venderem seus produtos a outros Estados. A medida contraria o projeto do governo, que não prevê a cobrança do ICMS na origem.

QUINTA-FEIRA

-- O presidente Lula deve viajar ao Rio Grande do Sul para lançamento de obras do PAC e visita a um porto em Rio Grande. (Reportagem de Carmen Munari)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below