28 de Janeiro de 2008 / às 09:18 / 10 anos atrás

Bradesco tem lucro recorde e mantém aposta no crédito

Por Cesar Bianconi

SÃO PAULO (Reuters) - O Bradesco experimentou em 2007, mais uma vez, forte expansão do crédito --o que ajudou o maior banco privado do país a ter lucro líquido recorde de 8,010 bilhões de reais.

A maior parte do resultado veio das atividades financeiras, que responderam por 71 por cento do lucro. O restante foi gerado pelas atividades de seguros, previdência e capitalização.

Sem considerar eventos não-recorrentes, como a venda de uma fatia que o Bradesco detinha na Bovespa Holding e na BM&F, o lucro ajustado em 2007 teria sido de 7,210 bilhões de reais.

Em 2006, o ganho líquido foi de 5,054 bilhões de reais e o ajustado, que desconsidera amortizações de ágios por aquisições, seria de 6,363 bilhões de reais.

“Operacionalmente, gostaríamos de destacar o crescimento do crédito (em 2007)”, disse a jornalistas o presidente do Bradesco, Márcio Cypriano, mencionado o segmento de pequenas e médias empresas.

A carteira de empréstimos do banco --sem incluir cartões, avais e fianças-- subiu 36,5 por cento nos 12 meses até dezembro. Nessa base, o desempenho superou a estimativa da instituição de alta de 21 a 27 por cento.

Para 2008, o Bradesco espera que sua carteira de crédito aumente de 21 a 25 por cento, com cenário de crescimento da economia brasileira de 4,5 por cento. Os destaques devem ser as áreas de consignado (com desconto em folha de pagamento), veículos e imóveis.

Cypriano espera manutenção dos níveis de inadimplência --que está em 3,3 por cento para empréstimos acima de 90 dias-- e descarta contágio significativo, na economia brasileira, da crise imobiliária nos Estados Unidos, que impôs pesadas baixas contábeis a grandes bancos de Wall Street e da Europa.

“Não dá pra gente se preocupar com a crise externa. É claro que a gente vai sentir algum arranhão... mas a gente não tem nenhum receio de que a crise externa possa prejudicar fortemente o Brasil”, comentou.

Mostrando otimismo com a economia doméstica, ele disse esperar que o país receba o grau de investimento “por pelo menos uma das três grandes agências de risco” ainda no primeiro semestre.

O Bradesco apresentou retorno sobre o patrimônio líquido médio (Roae) --importante indicador da rentabilidade de um banco-- de 31,4 por cento no ano passado, estável na comparação com 2006.

O resultado bruto da intermediação financeira foi de 16,802 bilhões de reais em 2007, aumento de 8,9 por cento.

QUARTO TRIMESTRE

De outubro a dezembro, o Bradesco teve lucro líquido de 2,193 bilhões de reais, com Roae de 35,4 por cento. O lucro excluindo itens extraordinários foi de 1,854 bilhão de reais no quarto trimestre.

A carteira de crédito total do banco com avais, fianças e recebíveis de cartões de crédito atingiu 161,407 bilhões de reais no fim de 2007. Apenas nos últimos três meses a expansão da carteira foi de 15,2 por cento.

As operações com pessoas físicas totalizaram 59,277 bilhões de reais, crescimento de 34,2 por cento, e as operações com pessoas jurídicas atingiram 102,130 bilhões de reais, avanço de 41,7 por cento.

O banco encerrou 2007 com ativos totais de 341,184 bilhões de reais, alta de 28,5 por cento sobre dezembro do ano anterior.

Edição de Vanessa Stelzer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below