29 de Janeiro de 2008 / às 20:28 / 10 anos atrás

FMI reduz projeção de crescimento global

Por Alister Bull e Glenn Somerville

WASHINGTON (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu nesta terça-feira sua previsão para o crescimento mundial em 2008 e alertou que a economia global pode ter a pior performance em cinco anos, podendo desacelerar ainda mais.

Culpando a crise nas hipotecas de alto risco (subprime) dos Estados Unidos pela revisão significativa, o FMI disse que nenhum país poderá escapar completamente ileso.

“É uma desaceleração significativa. É uma desaceleração global, sem nenhuma dúvida”, disse a jornalistas o economista-chefe do FMI, Simon Johnson. Ele não quis caracterizar os riscos que podem levar os Estados Unidos a uma recessão, mas o FMI deixou claro que se prepara para mais notícias ruins.

“O equilíbrio geral dos riscos para a perspectiva de crescimento global ainda pende para o lado de baixo”, afirmou o FMI na atualização semestral de sua Perspectiva Econômica Global, divulgada em outubro.

O FMI reduziu sua projeção global de crescimento em 2008 de 4,4 para 4,1 por cento. Esse seria o pior desempenho desde 2003, quando a expansão global atingiu 3,6 por cento, e reflete uma desaceleração marcante em relação aos 4,9 por cento do ano passado --ainda que as economias emergentes tenham se sustentado até aqui e que a China não tenha decepcionado.

“As tensões no mercado financeiro originadas do setor subprime... se intensificaram, ao mesmo tempo em que a recente queda acentuada das ações foi um sintoma do aumento da incerteza.”

CRISE DE CRÉDITO

O FMI disse que o tumulto nos mercados “chegou a uma nova fase --fase em que as preocupações com o crédito agora se estendem além do setor subprime” e vão precisar de atenção cuidadosa com o medo de que elas contaminem a economia.

“O risco principal para a perspectiva de crescimento global é que a turbulência corrente nos mercados financeiros pode reduzir ainda mais a demanda doméstica nas economias avançadas e criar mais deslizes significativos em mercados emergentes e economias em desenvolvimento”, afirmou o FMI.

O FMI reduziu sua previsão de crescimento dos Estados Unidos neste ano em 0,4 ponto percentual, para 1,5 por cento, e diminuiu a projeção para a zona do euro em 0,5 ponto percentual, para 1,6 por cento.

Os números são baseados em novos dados de paridade do poder de compra, anunciados anteriormente, que reduzem as estimativas de crescimento 2005-2008 em cerca de 0,5 ponto percentual por ano em relação aos números publicados em outubro.

O FMI reduziu a estimativa de crescimento do Japão em 0,2 ponto percentual, para 1,5 por cento. Mas a economia da China ainda deve crescer respeitáveis 10 por cento neste ano.

“Apesar de alguma desaceleração no crescimento das exportações, os mercados emergentes e as economias em desenvolvimento até aqui continuaram a se expandir fortemente, liderados pela China e pela Índia”, apontou o FMI.

Johnson elogiou as medidas do Federal Reserve, que cortou os juros em 1,75 ponto percentual desde setembro, e disse que isso vai impulsionar a economia norte-americana, especialmente em combinação com um pacote proposto de estímulo fiscal.

“A questão principal é que a política monetária continua eficaz, à medida que o Fed vem cortando significativamente o juro”, disse a jornalistas. “Isso terá efeito na economia real.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below