30 de Julho de 2008 / às 21:03 / 9 anos atrás

PANORAMA2-Ação de BCs contra crise injeta ânimo no mercado

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 30 de julho (Reuters) - A nova investida do Federal Reserve e outros bancos centrais contra a crise de crédito garantiu ao mercado internacional o segundo dia seguido de otimismo, mesmo com a forte alta do petróleo em Nova York.

No começo da manhã, o Fed, o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco Nacional da Suíça anunciaram a ampliação de algumas linhas emergenciais de crédito que foram lançadas em meio à crise financeira para aumentar a liquidez do sistema.

O resultado foi a alta das ações de bancos. Ajudou também o resultado melhor que o esperado na geração de empregos no setor privado dos Estados Unidos.

Segundo relatório da ADP, que antecede em dois dias a pesquisa mais ampla do governo sobre o mercado de trabalho, foram criadas 9 mil vagas em julho. Economistas esperavam o fechamento de 60 mil postos de trabalho.

As notícias animaram as bolsas de valores em Nova York, com alta de mais de 1,5 por cento dos índices Dow Jones e S&P 500. O único freio foi a valorização do petróleo, que subiu mais de 4 dólares após a redução surpreendente dos estoques de gasolina nos EUA.

Mas o efeito foi inverso no Brasil, cuja bolsa tem desempenho bastante influenciado pelas cotações de commodities. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo subiu 3,4 por cento, com a maior alta em mais de oito semanas.

O mercado de câmbio seguiu o vento favorável e levou o real a testar novos patamares ante o dólar.

Na agenda doméstica, a inflação mostrou algum alívio. A alta de 1,76 por cento do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) em julho, após alta de 1,98 por cento em junho, abriu espaço para a queda da maioria das projeções de juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

Veja como encerraram os principais mercados nesta quarta-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,562 real, em baixa de 0,51 por cento. O volume no segmento interbancário foi de pelo menos 2,3 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa avançou 3,4 por cento, a 59.997 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 8,8 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 3,9 por cento, aos 37.051 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) fechou em baixa na BM&F. O DI janeiro de 2009 ficou em 13,70 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu a 14,84 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 131,8 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,49 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil cedia 1 ponto, a 219 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 276 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI subiu 1,6 por cento, a 11.583 pontos. O Nasdaq .IXIC avançou 0,44 por cento, para 2.329 pontos. O índice S&P 500 .SPX teve alta de 1,7 por cento, aos 1.284 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava levemente e o rendimento subia para 4,05 por cento no final da tarde ante 4,04 por cento na quarta-feira.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

Reportagem adicional de Aluísio Alves e Fabio Gehrke; Edição de Daniela Machado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below