30 de Setembro de 2008 / às 20:22 / 9 anos atrás

ATUALIZA-Lula e Chávez apostam na capacidade de enfrentar crise

Por Fernando Exman

MANAUS, 30 de setembro (Reuters) - Os presidentes do Brasil e da Venezuela, Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez, afirmaram nesta terça-feira que os dois países estão mais bem preparados para enfrentar a crise financeira internacional.

Eles ponderaram, no entanto, que uma recessão da economia norte-americana pode afetar a América do Sul.

“A crise é muito séria e tão profunda que ainda não sabemos o tamanho. Nós aqui (no Brasil) estamos em uma situação muito mais tranquila, mas não é que não corramos riscos”, disse Lula a jornalistas depois de assinar acordos de cooperação com a Venezuela.

“Temos tomado medidas nos últimos anos que têm nos dado maior nível de solidez...Nós temos corta-fogo”, afirmou Chávez, que assim como Lula, reconheceu que nenhum país está imune às consequências da crise.

Os dois mandatário preveem uma escassez de crédito e enfatizaram a necessidade de fortalecer os mecanismos nacionais e regionais de financiamento.

Lula disse que vai faltar crédito no mundo todo, mas garantiu que o governo brasileiro está preparado para garantir crédito aos exportadores brasileiros por meio do BNDES e do Banco do Brasil. “Não vamos permitir que falte dinheiro para cumprir as coisas que temos que cumprir”, assegurou.

Lula reiterou seu otimismo de que a demanda doméstica compensará eventual queda nas vendas externas e de que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) garantirá osinvestimentos em infra-estrutura no país.

“O momento é de a gente acreditar neste país, no mercado interno deste país e que não seremos vítimas como já fomos.”

IRONIA DO DESTINO

O presidente brasileiro disse que monitora com frequência os níveis de exportação, importação e fluxos de dólar que entram e saem do país, junto com os ministros da área econômica, mas negou que tenha formado um núcleo específico de acompanhamento da crise.

“Não existe uma espécie de gabinete de crise. Sou curioso em economia, mas não é de agora não”, disse sobre os encontros com os ministros sobre o tema.

Lula considerou a crise uma “ironia do destino”, pelo fato dos problemas ocorrerem nos países ricos e o crescimento mundial ser sustentado pelos países em desenvolvimento.

“Nós fizemos a lição de casa e eles não fizeram”, alfinetou.

Hugo Chávez também ironizou o fato dos países em desenvolvimento estarem mais protegidos de turbulências internacionais, mas manifestou esperança de que uma saída seja encontrada.

“Essa crise é velha para nós”, declarou Chávez. “Oxalá consigam uma fórmula para sair dessa crise para que ela não siga se espalhabndo para o mundo como um espectro.”

O presidente venezuelano também citou a análise de especialistas de que a crise pode fazer com que os EUA percam a hegemonia mundial.

“Parece que os Estados Unidos perderão seu status de superpotência no mundo, que se tornará multipolar”, afirmou

Reportagem de Fernando Exman, Edição de Mair Pena Neto

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below