14 de Agosto de 2014 / às 20:25 / 3 anos atrás

Dólar cai 0,40% e volta ao nível de R$2,26, com temor sobre economia norte-americana

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda ante o real nesta quinta-feira, voltando ao patamar de 2,26 reais e alinhado com o exterior, após números fracos sobre o mercado de trabalho norte-americano alimentarem dúvidas sobre a recuperação da economia dos Estados Unidos.

Além disso, os investidores continuaram de olho na cena política brasileira, com o rumo que campanha eleitoral pode tomar após a morte do então candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, na véspera.

A moeda norte-americana caiu 0,40 por cento, a 2,2695 reais na venda, menor nível desde o dia 4 passado. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,2 bilhão de dólares.

“É mais um dado numa série um pouco turva sobre os Estados Unidos que têm saído nas últimas semanas. E isso deixa o mercado desconfortável”, disse o superintendente de câmbio da corretora Advanced, Reginaldo Siaca.

O número de novos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA subiu mais que o esperado na semana passada, embora a tendência ainda indique o fortalecimento do mercado de trabalho.

O dado soma-se a uma série de resultados mistos sobre a economia norte-americana, o que pode abrir espaço para o Federal Reserve, banco central dos EUA, manter os juros baixos por mais tempo para estimular a recuperação. Taxas norte-americanas mais baixas manteriam a atratividade de ativos de outros países, como o Brasil.

Nesta sessão também perdeu força a aversão ao risco impulsionou o dólar nas últimas semanas, após o presidente da Rússia, Vladimir Putin, dizer que seu país vai se defender, mas não à custa de confronto com o mundo exterior.

O pronunciamento foi visto como conciliatório, após meses de retórica dura sobre a crise da Ucrânia, que colocou em lados opostos a Rússia e o Ocidente.

Já no mercado local, as atenções continuaram sobre a cena política, com investidores questionando sobretudo se a candidata a vice na chapa encabeçada pelo PSB, Marina Silva, ocupará o lugar de Campos e o impacto que isso teria nas eleições de outubro.

“Foi uma tragédia que vai continuar no radar dos mercados até que haja alguma definição no quadro eleitoral”, disse Siaca, da Advanced.

A tranquilidade no mercado de câmbio foi influenciada também, segundo analistas, pela constante atuação do Banco Central brasileiro.

Pela manhã, vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, com volume correspondente a 199 milhões de dólares. Todos os contratos vendidos vencem em 2 de fevereiro de 2015. Também foram ofertados contratos para 1º de junho de 2015, mas nenhum foi vendido.

O BC também vendeu a oferta integral de até 10 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em setembro. Ao todo, o BC já rolou cerca de 40 por cento do lote total, que corresponde a 10,070 bilhões de dólares.

“Parece que, de fato, a estratégia do BC está sendo bem-sucedida em manter o dólar comportado”, afirmou o operador de uma corretora internacional.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below