April 25, 2018 / 9:38 PM / 5 months ago

Amigos ou não, Macron desafia Trump em discurso ao Congresso dos EUA

WASHINGTON (Reuters) - Um dia após ostentar sua amizade com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o presidente da França, Emmanuel Macron, desafiou com força nesta quarta-feira muitas das políticas de Trump, pedindo para os EUA se envolverem mais com o mundo, intensificarem a luta contra mudanças climáticas e permanecerem no acordo nuclear do Irã por ora.

Macron faz discurso ao Congresso dos EUA 25/4/2018 REUTERS/Jonathan Ernst

Completando uma visita de três dias, Macron criticou repetidamente os princípios isolacionistas do presidente em um discurso em encontro conjunto do Congresso, uma honra dada a um pequeno número de líderes estrangeiros visitantes.

    Macron disse que envolvimento dos EUA na comunidade global é vital e que a oposição de Trump ao acordo climático de Paris e a acordos comerciais internacionais são de visão curta.

    O presidente francês até mesmo ironizou o famoso slogan de 2016 da campanha de Trump, pedindo para os EUA ajudarem a “tornar nosso planeta grande novamente”.

    Macron desenvolveu uma forte relação com Trump, em um momento em que muitos líderes europeus estão mantendo distância. Durante a visita, eles apertaram as mãos repetidamente, trocaram beijos nas bochechas e bateram nas costas um do outro enquanto elogiavam a amizade.

    Mas perante o Congresso, Macron sugeriu querer mais que somente situações agradáveis ao público em geral.

    Sem mencionar Trump pelo nome, ele desafiou os impulsos protecionistas e nacionalistas do presidente republicano e disse que desafios modernos da economia e segurança devem ser uma responsabilidade global compartilhada que é “baseada em um novo tipo de multilateralismo”.

    “Os Estados Unidos são um dos que inventaram este multilateralismo. Você agora é quem precisa ajudar a preservá-lo e reinventá-lo”, disse Macron.

ACORDO COM IRÃ

Ele afirmou que um acordo nuclear internacional com o Irã, que Trump criticou duramente, não é perfeito, mas deve permanecer em vigor até que um substituto seja feito.

    “É verdadeiro dizer que este acordo pode não abordar todas as preocupações e preocupações muito importantes”, disse Macron. “Mas nós não devemos abandoná-lo sem ter algo mais substancial. Esta é minha posição”.

    Trump tem frequentemente prometido retirar os EUA do acordo nuclear de 2015 entre o Irã e seis grandes potências. Ele irá decidir até 12 de maio se retoma sanções econômicas norte-americanas sobre Teerã, o que pode sinalizar um primeiro passo para encerrar o acordo.

    Macron, de centro, também disse estar confiante de que os EUA irão eventualmente voltar ao acordo climático de Paris, que tem objetivo de combater o aquecimento global.

    “Vamos trabalhar juntos para tornar nosso planeta grande novamente”, disse. “Nós estamos matando nosso planeta – vamos enfrentar isto, não há Planeta B”.

    O discurso de Macron provocou frequentes aplausos, especialmente de parlamentares democratas quando ele criticou as posições de Trump. Após o discurso, o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, disse que o pedido de Macron por engajamento global é oportuno.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below