for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

México negocia ampliar relação comercial com a "muito fechada" economia brasileira--ministra

A ministra da Economia do México, Graciela Márquez, participa de uma sessão com parlamentares no prédio do Senado na Cidade do México. 14/06/2019. REUTERS/Carlos Jasso

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A ministra da Economia do México, Graciela Márquez, disse nesta sexta-feira que o Brasil é um país “difícil”, com uma economia “muito fechada”, o oposto do México.

A autoridade explicou que o governo mexicano trabalha com a ampliação do atual acordo de complementação econômica com a economia número um da América Latina, para alcançar uma aliança “mais ampla, mais ambiciosa”.

“Estamos sentados na mesa com eles (Brasil), assim como com a Argentina”, com quem também há um acordo análogo, disse Márquez.

Durante coletiva matutina diária do presidente Andrés Manuel López Obrador, a ministra também afirmou que, para o México, “a América Latina é muito importante”.

“Queremos sentar com eles. O Brasil é um país difícil, é o oposto do México. O México é uma economia muito aberta, o Brasil é uma economia muito fechada, mas acho que podemos encontrar complementaridades”, acrescentou.

Uma das questões que o México quer “superar”, segundo Márquez, são as diferenças no setor automotivo, segmento de discórdia entre as duas principais potências latino-americanas.

O governo brasileiro informou, em setembro do ano passado, que iniciou formalmente negociações de livre comércio com o México, como parte da intenção do presidente Jair Bolsonaro em abrir sua economia e negociar mais com o resto do mundo.

À Reuters, Márquez informou que, embora estivesse buscando expandir dois acordos atuais de complementação econômica, ainda não havia nada definido.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up