for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ant Group planeja levantar mais fundos em Xangai do que em Hong Kong, dizem fontes

24/01/2018 REUTERS/Shu Zhang

HONG KONG (Reuters) - O Ant Group da China planeja levantar mais fundos na bolsa de Xangai do que em Hong Kong, como parte de sua listagem dupla de até 30 bilhões de dólares, disseram pessoas com conhecimento direto do assunto, em um grande endosso para a bolsa da China Continental.

A empresa de tecnologia financeira apoiada pelo gigante do comércio eletrônico chinês Alibaba Group planeja fazer uma listagem simultânea em Hong Kong e Xangai, no que fontes disseram que poderia ser a maior oferta pública inicial do mundo e ocorrerá já em outubro.

O Ant, o unicórnio mais valioso do mundo - ou empresa de tecnologia não listada avaliada em bilhões de dólares - não revelou o tamanho, cronograma ou outros detalhes importantes da oferta em seu prospecto preliminar divulgado na semana passada.

Mas fontes disseram que, embora a divisão da porcentagem específica entre as ofertas de Hong Kong e de Xangai ainda não tenha sido finalizada, o grupo, após o feedback inicial dos investidores, provavelmente venderá mais ações no STAR Market de Xangai do que em Hong Kong.

Os principais coordenadores do IPO abordaram muitos investidores institucionais chineses, pedindo que investissem na oferta no STAR como um investidor estratégico, potencialmente comprometendo pelo menos 1 bilhão a 1,5 bilhão de iuanes (146 milhões a 220 milhões de dólares) cada e aceitando um ‘lock-up’ de 12 meses no investimento, disse uma das pessoas.

O Ant Group, que pretende vender entre 10% e 15% de suas ações, não quis comentar.

A oferta seria um impulso para o status do STAR como um mercado de capitais de rápido crescimento, em um momento em que as crescentes tensões entre China e Estados Unidos geram preocupações sobre as perspectivas de listagem de empresas chinesas nos EUA.

As empresas levantaram 10,3 bilhões de dólares em IPOs no mercado STAR nos primeiros sete meses de 2020, tornando-o o segundo maior mercado global, atrás da Nasdaq, mas à frente da bolsa principal de Xangai e de Hong Kong, mostraram dados da Refinitiv.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up