for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Preços do petróleo sobem 4% após Trump declarar falsamente vitória em eleição nos EUA

17/09/2019. REUTERS/Christian Hartmann

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram cerca de 4% nesta quarta-feira, depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarar vitória --de maneira falsa-- na acirrada eleição do país, com milhões de votos ainda não contabilizados, e de dados apontarem uma forte queda nos estoques norte-americanos de petróleo.

Uma vitória de Trump é vista como altista para o setor de petróleo devido a sanções sobre o Irã e seu apoio aos cortes de oferta liderados pelos sauditas na Opep para suportar os preços.

Um resultado contestado, com incerteza prolongada, é considerado o panorama mais baixista possível para o petróleo e mercados em geral, enquanto uma vitória de Joe Biden seria baixista ou neutra, devido às suas políticas “verdes” e a um posicionamento mais leve em relação ao Irã.

O petróleo dos EUA fechou em alta de 1,49 dólar, ou 4%, a 39,15 dólares por barril, enquanto o petróleo Brent avançou 1,52 dólar, ou 3,8%, para 41,23 dólares o barril.

Ambas as referências ampliaram ganhos, atingindo as máximas da sessão, após dados mostrarem que os estoques de petróleo dos EUA recuaram em 8 milhões de barris na semana passada, com o furacão Zeta forçando interrupções de oferta na região do Golfo do México no período.

Enquanto isso, Trump alegou falsamente que venceu a eleição, após Biden ter afirmado que estava confiante em levar a disputa, que não deve ser resolvida até que alguns Estados terminem de contar votos nas próximas horas ou dias.

“Talvez a principal conclusão a ser tirada neste momento seja de que há apenas uma pequena possibilidade de que os incentivos fiscais ao setor petróleo e gás sejam removidos nos EUA --mesmo se Biden emergir como o vencedor--, dada a margem estreita da vitória e uma provável maioria republicana no Senado”, disse Artem Abramov, chefe de pesquisas em “shale” da Rystad Energy.

Reportagem adicional de Noah Browning, Aaron Sheldrick e Ron Bousso

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up