8 de Outubro de 2014 / às 18:23 / em 3 anos

Maioria dos deputados eleitos do PSB defende apoio a Aécio, diz Beto Albuquerque

BRASÍLIA (Reuters) - A maioria dos deputados federais do PSB eleitos no domingo defende apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República, afirmou o candidato à vice-presidente na chapa socialista, Beto Albuquerque, derrotado no primeiro turno.

Beto Albuquerque, candidato a vice do PSB, ao lado de Marina Silva em São Paulo, após derrota no primeiro turno da eleição. 5/10/2014 REUTERS/Nacho Doce

A Executiva do PSB deve decidir nesta quarta o posicionamento que vai adotar no segundo turno, que muito provavelmente não será favorável à presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT.

“Eu acredito que nós vamos ter ampla maioria para tomar posição”, disse Albuquerque ao chegar à sede do PSB em Brasília, alegando ter consultado 33 dos 34 deputados federais eleitos pela legenda.

O PSB prometeu anunciar formalmente sua posição nesta quarta, após reunião que não conta com a presença da Marina Silva, que liderava a chapa do PSB na disputa presidencial.

Na quinta-feira, dirigentes dos seis partidos que integram a coligação (PSB, PPL, PPS, PRP, PSL e PHS) devem se reunir na tentativa de tomar uma decisão conjunta, encontro do qual Marina deve participar. O PPS anunciou na terça-feira apoio a Aécio na disputa do segundo turno da eleição, no dia 26.

Beto, que liderou a bancada do PSB na Câmara e também é o primeiro vice-presidente do partido, disse que 28 desses parlamentares posicionaram-se pelo apoio ao tucano, 4 deles defenderam a neutralidade e um sugeriu que fosse divulgado um indicativo a favor de Aécio, mas explicitando exceções em Estados onde o PSB disputa o segundo turno para governador com o PSDB, caso da Paraíba.

“Segundo turno não é para escolher o preferido, é para escolher quem a gente não quer”, disse.

“Eu acho que no PSB o que está muito claro é em quem não vamos votar, que é a Dilma. Agora, se vamos votar com Aécio, depende de um acordo programático”, afirmou o vice, que não esconde mágoa pela campanha do PT no primeiro turno, considerada por Beto como “lacerdista de esquerda” que “só soube nos ofender, mentir, nos caluniar”.

Questionado se um posicionamento a favor do PSDB não significaria uma guinada à direita, o vice disse não precisar de “estar ao lado do PT para ser um homem de esquerda”.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below