January 10, 2019 / 7:26 PM / in 8 days

DIs passam por correção e terminam em alta ainda à espera de novidades externas e no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros passaram por correção nesta quinta-feira e fecharam em alta, em mais um dia de expectativas por algum anúncio dos Estados Unidos e da China sobre a questão comercial e de alguma medida do novo governo brasileiro.

15/10/ 2010. REUTERS/Bruno Domingos

China e EUA encerraram três dias de reuniões no começo da semana, sem nenhum anúncio concreto. Os chineses disseram que os três dias de negociações em Pequim estabeleceram as bases para resolver as diferenças entre os dois países, mas não deram nenhum detalhe sobre as questões mais importantes.

“Os ativos brasileiros se beneficiaram muito do rali mundial nos últimos dias e podem ter uma realização hoje, mas de forma muito modesta e que não muda a tendência de valorização que se verifica nos últimos meses”, indicou mais cedo a SulAmérica Investimentos sobre o movimento desta sessão.

A inflação ao consumidor e ao produtor na China, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, ficaram abaixo do esperado em dezembro, num sinal preocupante de risco deflacionário na segunda maior economia do mundo, o que pode levar Pequim a adotar medidas para sustentar a economia.

“No começo do dia, os dados da China acabaram trazendo o viés de alta (aos DIS) e, ao longo do dia, uma realização acabou dando sustentação ao movimento”, comentou um operador de renda fixa de uma gestora local.

Na véspera, a ata do último encontro de política monetária do Federal Reserve já trouxe alívio ao indicar que as autoridades poderiam ser pacientes sobre os futuros aumentos da taxa de juros nos Estados Unidos.

Nesta tarde, o chairman do Fed, Jerome Powell, foi na mesma linha ao falar sobre a paciência e a ausência de uma trajetória predefinida para o aumento dos juros.

Ele disse ainda que o balanço patrimonial do banco central norte-americano será “substancialmente menor” do que o de agora, mas não indicou um horizonte de tempo.

Do lado doméstico, o mercado ainda segue otimista com a cena política local, à espera de uma proposta de reforma da Previdência robusta e que leve ao ajuste fiscal da economia. Desde o inicio do ano, a expectativa de uma reforma da Previdência tem sustentado os ativos brasileiros apesar do cenário externo mais conturbado por conta da desaceleração chinesa.

Na véspera, o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou que até 2 milhões de benefícios previdenciários deverão ser auditados por terem indícios de irregularidades, dentro do escopo da medida provisória antifraude que deve ser assinada até segunda-feira pelo presidente Jair Bolsonaro.

A curva a termo precificava nesta quinta-feira 86 por cento de chances de manutenção da Selic no primeiro encontro de política monetária do Banco Central deste ano, nos dias 5 e 6 de fevereiro, e o restante esperando elevação de 0,25 ponto percentual. Na véspera, as chances de manutenção estavam em 91 por cento.

Veja as taxas dos principais contratos de DIs no fechamento:

mês ticker último fechamento variação

(%) anterior (%) (p.p.)

MAR9 6,405 6,415 -0,01

JAN0 6,65 6,585 0,065

JAN1 7,46 7,36 0,1

JAN23 8,48 8,39 0,09

JAN25 8,94 8,89 0,05

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below