February 18, 2019 / 8:02 PM / 9 months ago

Espanha e Gibraltar dão relatos divergentes de incidente com navio de guerra

LONDRES/MADRI (Reuters) - Autoridades de Madri e de Gibraltar apresentaram relatos divergentes de um incidente no qual um navio de guerra espanhol ordenou a barcos comerciais que deixassem ancoradouros próximos de Gibraltar, o exemplo mais recente de tensões a respeito do porto estratégico no momento em que a separação britânica da União Europeia se aproxima.

Vista parcial de Gibraltar 18/08/2013 REUTERS/Jon Nazca

Em comunicados de palavreado áspero, Gibraltar disse que um navio de guerra da Espanha ordenou a barcos comerciais que deixassem ancoradouros em águas britânicas próximas de Gibraltar, acrescentando que a embarcação espanhola foi confrontada pela Marinha britânica e se afastou, enquanto os barcos comerciais permaneceram.

O governo de Madri disse que os barcos comerciais estavam em águas espanholas e que deixaram a área depois de serem contatados pelo navio de guerra espanhol.

Nenhum lado mencionou a nacionalidade dos barcos comerciais.   

“Qualquer um que acredite na ordem internacional legal baseada em regras terá se chocado com as ações arrogantes e quixotescas da embarcação militar espanhola no final de semana”, disse Fabian Picardo, ministro-chefe de Gibraltar, em um comunicado.

“Este comportamento infantil é insatisfatório, quer seja errático ou dirigido de cima”, disse Picardo. “O povo de Gibraltar não será intimidado agora ou após 29 de março”, acrescentou, referindo-se à data em que o Reino Unido deve sair da UE.

As tensões a respeito de águas territoriais irrompem com regularidade entre embarcações espanholas e britânicas no entorno de Gibraltar, uma península situada no extremo sul da Espanha com vista para o estreito entre o Oceano Atlântico e o Mar Mediterrâneo que é controlada pelo Reino Unido desde 1713.

O status de Gibraltar e seus 30 mil habitantes vem ganhando atenção em meio à incerteza sobre o Brexit, com ou sem acordo, e há dúvidas sobre a livre circulação em seu território e suas fronteiras marítimas com a Espanha.

O ministro das Relações Exteriores espanhol, Josep Borrell, afirmou que um navio da Marinha de seu país chamado Tornado estava policiando a área no domingo, no que disse ser um procedimento padrão.

“O Tornado contatou três barcos comerciais que estavam violando a lei de segurança marítima em águas territoriais espanholas permanecendo imóveis...”, disse Borrell aos repórteres em Bruxelas.

“Estes navios responderam aos pedidos do Tornado e abandonaram a área”, acrescentou.

O governo britânico disse que o Reino Unido sempre defenderá seus interesses soberanos em Gibraltar, e um porta-voz da primeira-ministra britânica, Theresa May, disse não ter havido nenhuma incursão de forças navais espanholas durante o incidente.            

Por Guy Faulconbridge, José Elías Rodríguez e Joan Faus

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below