for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Diretoria da Renault discutirá fusão com FCA na terça-feira

REUTERS/Rebecca Cook

PARIS (Reuters) - A diretoria da Renault RENA.PA se reunirá na terça-feira para discutir a oferta de fusão da Fiat Chrysler FCHA.MI, informou a montadora francesa, enquanto o ministro das Finanças, Bruno Le Maire, reiterou o apoio condicional do governo à união.

Os diretores da Renault decidirão se vão abrir conversas formais com a FCA quando se reunirem novamente após as sessões de trabalho informais realizadas esta semana. A reunião foi marcada para terça-feira, disse um porta-voz da empresa.

A ítalo-americana FCA divulgou na segunda-feira uma oferta para uma fusão de 35 bilhões de dólares com a Renault para criar a terceira maior montadora do mundo, juntando forças para enfrentar os desafios da indústria de montagem, incluindo regulamentação de emissões pesadas, eletrificação de veículos, conectividade e autonomia de direção.

Dúvidas sobre a valorização da proposta e, 5 bilhões de euros em custos e investimentos foram expressos por ex-executivos da Renault, incluindo Carlos Tavares, que agora lidera o PSA Group PEUP.PA, e Patrick Pelata, que atuou como diretor operacional até 2011.

Mas o governo francês, maior acionista da Renault, com participação de 15 por cento, reiterou seu apoio à fusão nesta sexta-feira - na condição de preservar empregos e locais industriais franceses, proteger a aliança com a Nissan e assinar um projeto europeu de fabricação de baterias.

A proposta da FCA apresenta uma “oportunidade real para a Renault e para a indústria automotiva francesa”, disse o ministro das Finanças Le Maire à agência de notícias local France-Presse.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up